Um dos donos da Toalhas São Carlos já foi diretor do Departamento de Ação Regional da Federação das Indústrias do Estado de SP

selo

O empresário Eduardo Abdelnur, de 46 anos, um dos proprietários da Toalhas São Carlos, foi encontrado morto, nesta terça-feira, com um tiro no peito em sua sala na empresa, em São Carlos, no interior de São Paulo. A Polícia Civil não havia descartado, até início da noite, a hipótese de homicídio. Em depoimento, um irmão do empresário informou à polícia tê-lo encontrado morto, por volta das 10 horas. Em choque, teria mandado jogar a arma em um tanque de produtos químicos da fábrica antes de avisar a polícia. 

O delegado Adriano Alexandrino, do 4º Distrito Policial, que atendeu o caso, chegou a pedir ao Corpo de Bombeiros que fizesse uma busca no tanque para localizar a arma, mas isso não ocorreu porque os produtos químicos são tóxicos. O tanque será esgotado para o possível resgate da arma. O delegado encaminhou para a perícia um projétil de arma de fogo e munição encontrados no escritório, assim como a camisa que era usada pelo empresário. O corpo de Abdelnur foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML). A perícia vai determinar o que ocorreu. O laudo deve ficar pronto em 20 dias. 

Familiares e amigos disseram que Eduardo Abdelnur, que ocupava o cargo de diretor de comércio exterior, estava inconformado com a situação financeira da empresa. Em outubro deste ano, a Toalhas São Carlos entrou com pedido de recuperação judicial na 2ª Vara Cível da cidade em razão de dívidas com bancos e fornecedores. Por causa da situação da empresa, há cerca de um mês foram demitidos 172 funcionários de diversas funções. A demissão encerrou as atividades do terceiro turno e gerou insegurança nos outros 368 funcionários. 

A fábrica, fundada na década de 1950 pelo patriarca da família, o libanês Miguel Abdelnur, é uma das mais conceituadas fabricantes de toalhas de banho do País. A empresa foi atingida pela queda nas exportações, em razão da concorrência com produtos chineses, e pela desvalorização do dólar frente ao real. A prefeitura de São Carlos emitiu nota lamentando a morte do empresário e se solidarizando com a família. Eduardo deixou três filhos. De acordo com a nota, o empresário cumpriu papel fundamental na articulação de políticas para o desenvolvimento das empresas de São Carlos e região, ocupando o cargo de diretor do Departamento de Ação Regional da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.