Em SP, texto causa polêmica ao mostrar jeito seguro de injetar drogas

Texto assinala os pontos seguros para injetar, como as veias dos braços, e os pontos perigosos, como o pescoço, peito e genitálias

AE |

selo

Um kit com folhetos contendo informações sobre os cuidados básicos para quem injeta drogas no próprio corpo causa polêmica em Sorocaba, a 92 km de São Paulo. O material publicitário, que indica os melhores e os piores pontos do corpo para injetar, estava ao alcance de pessoas que não usam drogas, inclusive crianças, em pontos de distribuição do programa Território Jovem. 

Reprodução/Google Maps
Sorocaba fica a 100 quilômetros de São Paulo
A distribuição faz parte do programa nacional Redução de Danos, do Ministério da Saúde em parceria com a prefeitura, para prevenir a transmissão do vírus HIV entre usuários de drogas.

Um dos folhetos assinala os pontos seguros para injetar, como as veias dos braços, dos antebraços e das pernas; os pontos a considerar, como as veias dos pés ("veias pequenas, muito frágeis") e os pontos perigosos, como o pescoço, rosto, peito, genitália e pulsos. Também explica os cuidados para se evitar a overdose, como dividir em duas doses a droga nova que estiver experimentando.

O material também versa sobre o uso da camisinha com o desenho de um pênis. O vereador Hélio Godoy (sem partido) considerou irregular a distribuição sem um efetivo controle do público alvo. "Do jeito que está sendo feita, ela não previne nem reduz o uso de drogas, pelo contrário, só faz incentivar o consumo de drogas injetáveis", disse.

Passo a passo

Godoy registrou com fotos a entrega do material a adolescentes e não usuários nas unidades do programa Território Jovem no Jardim Nova Esperança. "Os folhetos estavam sobre um balcão à disposição de quem quisesse pegar", disse. O presidente da Câmara, vereador Marinho Marte (PPS), criticou o conteúdo do material que em momento algum faz menção aos malefícios das drogas. "Ao contrário, só explica o passo a passo para usá-las."

Do jeito que está sendo feita, ela não previne nem reduz o uso de drogas, pelo contrário, só faz incentivar o consumo de drogas injetáveis", diz vereador

A Secretaria da Juventude (Sejuv), responsável pelo programa, informou ter havido uma falha na distribuição do material educativo referente ao projeto Redução de Danos, durante a ação do Programa "Entre Nós" no bairro Nova Esperança.

Os folders são produzidos pelo Ministério da Saúde e foram reproduzidos pela Clínica DST/Aids em Sorocaba em 2006. O público a quem se destina é especificamente usuários de drogas injetáveis. A Sejuv informou ainda que assim que soube do ocorrido orientou os funcionários para que não ocorra nova falha e oferecerá mais capacitação à equipe que atua no programa.

    Leia tudo sobre: sorocabadrogasministério da saúde

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG