Em ação que durou 5 minutos, dois são feitos reféns

Shopping Cidade Jardim, na zona sul de São Paulo, é assaltado de novo. O segundo roubo em menos de um mês

Matheus Pichonelli, iG São Paulo |

AE
Fachada do Shopping Cidade Jardim, na zona sul de São Paulo
Cinco minutos. Foi o tempo necessário para que uma quadrilha especializada em roubo a lojas do luxo levasse praticamente tudo o que havia nas prateleiras do Espaço Rolex Corsage, do Shopping Cidade Jardim, na zona sul de São Paulo. É o segundo roubo em menos de um mês ao shopping que é considerado um dos mais luxuosos do País.

Segundo informações do delegado José Antônio do Nascimento, do Departamento de Investigações sobre Crime Organizado (Deic), cerca de dez homens entraram no shopping e anunciaram o assalto à loja por volta das 12h40.

A ação foi gravada pelo circuito interno. Pelas imagens, diz Nascimento, é possível ver que quatro homens efetuaram o roubo na loja. Todos com armas de curto calibre. Os demais ficaram do lado de fora. Eles chegaram a quebrar a vitrine de um mostruário, mas não houve gritos nem confusão no local. No momento do assalto, quatro funcionárias estavam na loja. Procurada pela reportagem do iG , a assessoria do shopping informou que ainda é calculado o valor levado pelos criminosos nesta segunda-feira. Um relógio custa em média R$ 100 mil. Em nota, a administração do shopping disse que o local conta com forte esquema de segurança, incrementada desde o assalto no último mês, e que "todos os procedimentos foram cumpridos à risca".

"O shopping e as autoridades policiais estão juntos estudando medidas adicionais relacionadas a este assunto", disse a administração. Segundo a nota, o Espaço Rolex Corsage se prepara para retomar as atividades na próxima quarta-feira.

Reféns

Segundo a polícia, todos os criminosos eram jovens e estavam muito bem vestidos, com ternos e camisas, e usando óculos escuros. "Entraram no shopping como clientes", relatou o delegado, acrescentando que, apesar de não descartar nenhuma hipótese, não vê ligação entre o assalto de hoje e o realizado à Tiffany, em 16 de maio, quando 72 peças, avaliadas em R$ 1,5 milhão, foram roubadas.

"Não descartamos nenhuma hipótese. Mas os criminosos eram diferentes, mais novos. A abordagem, o horário, o dia da semana e a composição do grupo são elementos diferenciados", afirmou, acrescentando que tem aumentado o roubo a lojas de luxo e que os bandidos, desta vez, possivelmente estavam mais bem preparados.

Ainda segundo Nascimento, o grupo fez dois funcionários do shopping reféns durante o assalto - uma vendedora da Rolex e um segurança. "Eles foram mantidos como escudos e soltos assim que terminou a ação."

Segundo o iG apurou, antes de assaltar a loja Corsage, a única loja da Rolex no Brasil, a quadrilha tentou, sem sucesso, roubar a loja da marca Montblanc. As lojas ficam no mesmo andar que está a Tiffany.

A polícia destacou ainda acreditar que os criminosos conhecem exatamente a localização das lojas no shopping, já que a escolhida fica perto de uma porta de saída - provavelmente utilizada na fuga. Até o momento, ninguém foi preso. Os bandidos fugiram em pelo menos dois carros, sendo que um deles (possivelmente com placa clonada) foi encontrado em um estacionamento localizado no centro de São Paulo.

Ainda segundo Nascimento, dentro do shopping não foi efetuado nenhum disparo. "O único tiro foi dado do lado de fora, já durante a fuga. Possivelmente para dispersar", afirmou.

Moradores vizinhos ao shopping ouvidos pelo iG afirmaram ter ouvido três disparos de tiros. “Estava trabalhando no computador de casa quando ouvi três tiros. Fui ver pela janela e vi um cara estranho saindo do shopping e outros da garagem", relata ela, que preferiu não ser identificada.

Roubo à Tiffany

No roubo à Tiffany, oito homens armados com submetralhadores e escopetas invadiram a joalheria no dia de mais movimento do local, um sábado. Pela rapidez da ação, a princípio, a polícia considerava que o roubo havia sido feito por uma quadrilha especializada, mas depois descartou a hipótese. Dos oito assaltantes, quatro foram detidos.

A reportagem do iG apurou que, após o roubo à Tiffany, houve uma mudança na estratégia de segurança adotada pela equipe do shopping. Houve, inclusive, aumento do efetivo policial.

Shopping Cidade Jardim

O Shopping Cidade Jardim foi inaugurado em maio de 2008 e é um dos mais luxuosos do Brasil. Ali, há grifes como Hermès, Chanel, Longchamp, Louis Vuitton e Giorgio Armani. Ele conta com cerca de 120 lojas em 78 mil m², além de salas de cinema, academia e até um SPA. Há também um condomínio de alto padrão em anexo ao centro comercial.

A loja dos relógios Rolex não tem previsão para ser reaberta. As demais lojas funcionam normalmente nesta segunda-feira.

(*com Camila Nascimento e Lectícia Maggi, iG São Paulo)

    Leia tudo sobre: Shopping Cidade JardimrouboRolexSão Paulo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG