'Ela não diz coisa com coisa', diz pai de vítima do Playcenter

Segundo o pai de Daniela Pansarin, que caiu de uma altura de 7m de um brinquedo do parque, ela não se lembra do que aconteceu

Márcio Apolinário, iG São Paulo |

Três vítimas do acidente em um brinquedo do parque de diversões Playcenter, que aconteceu no último domingo , seguem internadas na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), do Hospital Metropolitano, em estado de observação, mas o quadro clínico é estável, segundo boletim médico divulgado nesta terça-feira pelo hospital.

De acordo com relato dos parentes das vítimas, o quadro mais grave continua sendo o de Daniele Aparecida Pansarin, de 30 anos, que além de ter sofrido fratura em quatro costelas, fratura exposta na perna e lesões no rosto, não se lembra do dia do acidente. “Minha filha não consegue se lembrar de nada que aconteceu domingo. Tentamos falar com ela ontem (segunda-feira) e ela não diz coisa com coisa. A pancada na queda foi muito forte. No acidente ela também bateu o peito e agora dói para respirar. Minha querida está com 40 pontos na cabeça e com o braço cheio de hematomas”, lamenta o senhor Jurandir Pansarin, de 57 anos, em conversa ao iG .

O pai, que adiantou que sua filha não voltará mais ao parque, também criticou a segurança do parque. "Não consigo entender como deixam funcionar um brinquedo sujeito a esse tipo de acidente. O equipamento teve problema no mesmo dia e ninguém fez nada. Poderiam ter evitado tudo isso. Não entendo. Essa imprudência ainda vai matar alguém".

Diogo Moreira/Futura Press
Peritos fizeram novos testes no brinquedo Double Shockna na manhã desta terça-feira

Além de Daniele, Suzana Martins de Souza, de 19 anos, também permanece internada, na UTI, com ferimentos no braço esquerdo e está se recuperando de uma operação, realizada na segunda-feira, para correções no membro. Ao  iG , sua mãe, Maria das Neves, diz estar aliviada por saber que sua filha, embora esteja na UTI, está sob observação. “Ela está bem, mas o susto foi grande. Deus sabe de todas as coisas e ela vai melhorar rápido. Sobre o momento do acidente, ela não sabe dizer direito.”

Segundo boletim médico, Adriana Pereira Barros, de 13 anos, que teve o baço esmagado por conta da queda, e teve que retirar o órgão, segue sob observação da equipe do hospital consciente, mas não tem expectativa de alta.

Uma quarta vítima do acidente retornou ao hospital na tarde de hoje após apresentar náusea e tontura. Fábio Lima Pereira, de 24 anos, havia recebido atendimento no hospital no domingo com uma fratura na mão e múltiplos cortes pelo corpo.

Ao todo, oito pessoas ficaram feridas após a trava de segurança do brinquedo se abrir em plena operação e parte dos ocupantes ser arremessada de uma altura de sete metros. Dez viaturas dos bombeiros foram enviadas para prestar socorro às vítimas.

Investigações

Técnicos do Núcleo de Engenharia do Instituto de Criminalística da Polícia Técnico-Científica de São Paulo estiveram, na manhã desta terça-feira, no parque Playcenter, na zona oeste de São Paulo, para realizar simulações de funcionamento no brinquedo Double Shock e apurar as causas do acidente . Esta foi a terceira vistoria realizada no parque.

Segundo a assessoria do parque, esta nova perícia foi necessária após os testes realizados na segunda-feira não terem sido conclusivos. Em nota divulgada no final desta tarde, o Playcenter afirmou que a vistoria solicitada pelo operador do brinquedo Double Shock, horas antes do acidente não apontou falhas. Assim, segundo o parque, não foi realizada nenhuma intervenção técnica no equipamento pela equipe de manutenção.

O Playcenter informou que o Double Shock permanecerá interditado até a apuração dos fatos e que está atendendo todas as solicitações dos órgãos públicos. Foram requisitados documentos comprobatórios da regularidade técnica e de manutenção do Double Shock e dos demais equipamentos do parque.

    Leia tudo sobre: parque de diversõesplaycenterDouble Shock

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG