É inexplicável o que aconteceu, diz pai de aluno que atirou em professora

Guarda civil Milton Nogueira é consolado por amigos e parentes no enterro do filho, que se matou

Carolina Garcia, iG São Paulo |

AE
Milton Nogueira, pai do estudante de 10 anos que atirou na professora e depois se matou na escola Professora Alcina Dantas Feijão em São Caetano do Sul
O corpo do estudante D.M.N, de 10 anos, foi enterrado na tarde desta sexta-feira no Cemitério das Lágrimas, em São Caetano do Sul, na Grande São Paulo. Ele se matou com um tiro na cabeça após disparar contra a professora Rosileide Queiros de Oliveira, 38 anos, dentro da sala de aula na escola municipal Professora Alcina Dantas Feijão.

Consolado por amigos e parentes, o pai, o guarda municipal Milton Nogueira, de quem o garoto pegou a arma de fogo, disse: “Está muito difícil. É inexplicável o que aconteceu.”

Muitos estudantes e professores da instituição estiveram presentes. Muito emocionada, a professora Cinira Fernandes falou sobre o garoto. "Ele era muito bonzinho. Fui professora dele e o que aconteceu é inexplicável pela tranquilidade dele e pela postura da professora que sempre foi uma ótima profissional."

Guilherme Vasconcelos Souza, de 9 anos, era muito próximo a D.M.N. "Ele era calmo, quietinho. Ele escrevia bonito e estudava muito."

Carmelita Cordeiro, muito amiga da família e frequentadora da mesma igreja, lamenta a tragédia. "O menino era um anjo. Nunca vi ninguém o tirando do sério. É uma família muito religiosa. Estão todos sofrendo muito."

    Leia tudo sobre: alunoprofessoratirosmorteescola

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG