Dose única de vacina da gripe confunde idoso

SP é o único do País que aplica uma vacina contra a gripe comum e a suína em vez de duas injeções. Diferença causou confusão

iG São Paulo |

O uso de uma vacina só para imunizar idosos contra a gripe comum e a suína - Influenza A (H1N1) -, em vez de duas injeções, causou confusão naqueles que compareceram aos postos de saúde nos últimos dias.

O Ministério da Saúde tinha divulgado que as vacinas seriam dadas separadamente. Dessa maneira, idosos com doenças crônicas (únicos com recomendação para a vacina da gripe suína) tomariam uma picada em um braço para uma vacina e a outra no outro braço.

Mas problemas com parte dos imunizantes importados da França e que seriam acondicionados no Instituto Butantã, ligado ao governo de São Paulo, levaram à compra da vacina de dose única (para gripe comum e suína), importada. A dose única chama-se vacina trivalente, porque leva material de dois vírus da gripe comum e o da suína.

Em nota, o governo de São Paulo informou ontem que deveria formular e entregar 18 milhões de doses, mas entregou apenas 16 milhões que passaram em testes de qualidade. Os 2 milhões restantes não foram aprovados e o órgão foi ao mercado comprar a vacina trivalente. Segundo o governo estadual, o imunizante não traz nenhum risco.

De 30 a 39 anos

O início da vacinação contra a gripe comum para idosos e da gripe suína para a faixa de 30 a 39 anos provocou movimento intenso nos postos da cidade de São Paulo. As filas eram extensas em todas unidades visitadas pela reportagem, mas os pacientes informaram que o atendimento estava sendo rápido. Não houve registro de falta de vacina. A média de espera era de 15 minutos. A Secretaria Estadual da Saúde estima que 6,7 milhões de paulistas entre 30 e 39 anos devem se vacinar.

AE

    Leia tudo sobre: dose únicavacinagripeidoso

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG