Dona de casa fica dois anos com pinça dentro da barriga

Cirurgia foi feita no dia 17 de novembro de 2008, mas só no fim de 2010 a paciente sentiu dores e foi percebida a pinça no abdome

AE |

O Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp) abriu nesta quinta-feira uma sindicância para apurar o caso da uma dona de casa de Araraquara, no interior paulista, que ficou por dois anos com uma pinça dentro do abdome. Segundo o Cremesp, as investigações devem durar cerca de seis meses.

De acordo com nota do Hospital Beneficência Portuguesa, de Araraquara, será enviado ao Conselho Regional de Medicina os documentos que formam o prontuário da paciente, a fim de se avaliar a conduta do médico Leonardo Alberto Cunha e do primeiro auxiliar, o também médico Alexandre Gonçalves de Ângelo, durante cirurgia para retirada de ovário, feita por eles em 17 de novembro de 2008.

Segundo o hospital, a dona de casa começou o tratamento no dia 9 de dezembro de 2008, 22 dias após a operação, com o primeiro ciclo de quimioterapia, concluindo o sexto ciclo em 31 de junho de 2009. Durante todo período, ela jamais se queixou ao médico oncologista de qualquer desconforto abdominal.

Apenas no dia 31 de dezembro de 2010 é que, reclamando de dores no abdome, a paciente foi atendida no serviço de emergência do hospital, quando foi feito um raio-X, detectando, na cavidade abdominal, uma pinça utilizada pelo médico na cirurgia de 2008. O mesmo profissional, o médico Leonardo Alberto Cunha, fez o procedimento para a retirada do objeto três dias depois.

    Leia tudo sobre: pinçacremespcirurgia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG