Delegado acusado de agredir cadeirante é condenado

Delegado pode recorrer em liberdade. Agressão aconteceu após discussão por vaga de estacionamento destinada a deficientes físicos

iG São Paulo |

Nilton Cardin / Futura Press
Anatole Magalhães Macedo Morandini afirma que foi agredido com coronhadas pelo delegado

O delegado Damásio Marino,

acusado de agredir o advogado e deficiente físico Anatole Magalhães Macedo Morandini, no dia 17 janeiro

deste ano, em São José dos Campos, São Paulo, foi condenado nesta quarta-feira a três meses de prisão. O delegado tem o direito de recorrer da decisão em liberdade.

Segundo a sentença, Marino teria sido repreendido pelo advogado por haver estacionado seu veículo em vaga destinada a deficientes. Neste momento, o delegado xingou a vítima de "aleijado filho da p...". Em seguida o advogado, que estava numa cadeira de rodas, teria cuspido contra o veículo do acusado, que deixou o automóvel, sacou a arma e desferiu dois golpes contra sua cabeça.

Morandini ainda foi ameaçado. Ele contou que na tarde do dia 28 de janeiro recebeu uma ligação de um telefone da Delegacia Seccional, conforme constatou ao ligar para o mesmo número, logo em seguida e foi ameaçado de morte. A Corregedoria instaurou um inquérito para investigar a ameaça.

O delegado era titular do 6º Distrito Policial, mas foi afastado por 30 dias na época , por ordem do secretário de Segurança Pública Antonio Ferreira Pinto, para que a agressão fosse investigada. O prazo de 30 dias terminou e ele voltou a assumir funções administrativas na delegacia seccional da cidade .

*Com informações da AE

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG