Delegada decide não indiciar pai de aluno que atirou em professora

Lucy Fernandes diz que ele já foi punido com morte do filho e que motivo continuará desconhecido: “Davi levou a resposta com ele"

Fernanda Simas, iG São Paulo |

Orlando Filho / Diário do Grande ABC / AE
Colega de Davi chega acompanhado dos pais para conversar com delegada: os depoimentos não esclareceram as razões do crime
"A resposta ele ( Davi ) levou com ele", conclui a delegada do 3º Distrito Policial de São Caetano, Lucy Mastellini Fernandes, sobre os motivos que levaram Davi Mota Nogueira a atirar contra a professora Rosileide Oliveira e se matar em seguida. No fim dessa semana, a delegada vai receber os laudos da perícia e ouvir mais colegas de Davi para poder concluir o inquérito.

Lucy não acredita na hipótese de crime premeditado depois de ter ouvido quatro colegas de Davi, uma psicóloga e dois professores da Escola Municipal Professora Alcina Dantas Feijão. "Pela personalidade dele ( Davi ) e pelos momentos anteriores ao acontecido não me parece plausível ele ter premeditado". Ela acredita que ele possa ter levado a arma para a escola apenas para "se sobressair". "Como ninguém deu muita bola, ele pode ter pego a arma para chamar mais a atenção, então o disparo aconteceu e desesperado ele se matou", conta.

Dos quatro colegas de Davi ouvidos na segunda-feira (3) , três deixam claro, segundo Lucy, que o aluno não mirou na professora ao atirar. "Três acreditam que não foi algo intencional, só uma colega diz que Davi teria dito ter a intenção de matar a professora e se matar."

Leia também: É inexplicável o que aconteceu, diz pai de aluno que atirou em professora

A delegada também ressalta que não vai indiciar o pai do garoto, o guarda municipal Milton Nogueira .“Eu vou deixar a questão do indiciamento para a Justiça", afirma ela. "Acredito que se ele tiver de responder por algo, é pela omissão de não relatar o desaparecimento da arma, e não pelo que aconteceu com a professora; Ele já foi penalizado o suficiente pela morte do filho”, conclui.

Os depoimentos

Segundo Lucy, os depoimentos não revelaram o que teria levado Davi a atirar contra a professora e se matar em seguida. Depois de ouvir os alunos, Lucy ouviu a professora Rosileide na tarde de segunda-feira (3).

Segundo a delegada, Rosileide está muito abalada e não entende o que aconteceu. Durante o depoimento, ela confirmou que estava de costas e não viu quem atirou. “Ela diz que só ouviu um barulho e achou que tinha sido ou bomba ou até uma carteira caindo no chão. Então ela começou a sentir o corpo estranho e caiu no chão. Só percebeu que estava machucada quando colocou a mão nas costas e viu que estava sangrando, momento em que pediu aos alunos para chamar ajuda”, detalha Lucy. Sobre o relacionamento com Davi, a professora teria dito que nunca precisou dar uma grande bronca nele e que ele era um ótimo aluno. Rosileide não comentou quando pretende voltar a dar aulas.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG