Defesa e promotoria discutem e julgamento do caso Eloá é suspenso

Depoimentos serão retomados na quarta-feira, quando Lindemberg deve falar

Fernanda Simas, iG São Paulo |

A advogada de defesa Ana Lúcia Assad e a promotora Daniela Mashimoto discutiram nesta terça-feira (14) no plenário do julgamento de Lindemberg Alves, acusado de matar a ex-namorada Eloá Pimentel, em outubro de 2008. Assim, o julgamento foi suspenso às 23h10.

Segundo a defensora, informações estariam sendo divulgadas incorretamente por parte da imprensa e isso estaria lhe causando prejuízos já que pessoas a teriam ameaçado de morte.

Julgamento: Policial diz que disparo e frases motivaram invasão a apartamento de Eloá

"Esta defensora não se sente segura para continuar os trabalhos", afirmou Assad no caso de as ameaças continuarem. Nesse momento, ela exibiu um colete a prova de balas que teria recebido em decorrência da situação.

A acusação rebateu dizendo que as possíveis ameaças deveriam ser reportadas às autoridades responsáveis e explicando que o Código de Processo Penal prevê o uso da estenotipia para o depoimento das testemunhas, método no qual "sao descritas todas as perguntas e protestos de qualquer das partes", segundo a promotora Daniela Mashimoto.

Balas: Policiais dizem que PM não usou munição letal na invasão do apartamento de Eloá

Assad também pediu para fazer um requerimento e alegou que os protestos que havia feito durante a oitiva das testemunhas não constavam na ata do julgamento, apenas nos escritos da estenotipia e que nao teve acesso à transcrição dos depoimentos ouvidos até o momento, o que prejudicaria seu trabalho.

Defesa: 'Para descobrir a verdade não precisa ter pressa', diz defesa de Lindemberg

A juíza Milena Dias citou o mesmo código para afirmar que a lei não prevê a descrição dos depoimentos antes do momento de debate entre acusação e defesa, reiterou que todos os protestos da defesa serão anexados aos autos do processo e deu por encerrado o segundo dia de julgamento, considerando que os jurados precisavam descansar.

O julgamento deve ser retomado na manhã desta quarta-feira com mais um policial como testemunha. Depois, é a vez de Lindemberg depor. Ele falará pela primeira vez sobre o caso.


    Leia tudo sobre: caso eloáLindembergjulgamento

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG