Cronologia do caso Mércia

Saiba mais sobre o caso da advogada Mércia Nakashima

iG São Paulo | - Atualizada às

23 de maio - A advogada Mércia Nakashima, de 28 anos, desaparece após deixar a casa da avó, por volta das 18h30, no bairro Bela Vista, em Guarulhos. "Ela ainda queria hidratar o cabelo. Estava feliz, a acompanhei até o carro e falamos sobre o que faríamos durante a semana”, contou Janete, que depois disso não viu mais a filha.

25 de maio - Sem respostas de Mércia, a família Nakashima comunica a polícia sobre o desaparecimento da advogada e espalha panfletos por toda a cidade de Guarulhos em busca de informações. A polícia inicia a investigação.

27 de maio - Sem ser convocado, o ex-namorado de Mércia, o ex-policial Mizael Bispo de Souza, de 40 anos, vai ao Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) para prestar depoimento sobre a relação dele com a advogada

31 de maio - Desta vez, Souza é chamado e, já considerado suspeito de envolvimento no sumiço de Mércia, nega qualquer acusação contra ele. Diz que na noite que a advogada desapareceu ele estava com uma garota de programa.

01 de junho - O delegado Antônio Olim, do DHPP,  realiza a reconstituição do trajeto feito pelo ex-namorado de Mércia, Mizael Bispo de Souza, no dia em que a advogada foi vista pela última vez. “Verificamos que o carro de Mizael chegou a parar em um local próximo à casa de minha avó”, afirmou Márcio Nakashima, irmão de Mércia. Pelo rastreador do carro de Souza, a polícia constatou que das 18h40 às 22h38 ele ficou estacionado em frente ao estacionamento do Hospital Geral de Guarulhos, em uma rua a menos de cinco minutos da casa da avó de Mércia.

04 de junho - Souza presta novo depoimento . Ao delegado Antônio Olim, ele contestou o tempo de permanência - mostrado pelo GPS - que seu carro ficou estacionado no Hospital Geral de Guarulhos. Após prestar depoimento, ele é liberado.

10 de junho - Após denúncia, o pai de Mércia busca ajuda do Corpo de Bombeiros de Atibaia e realiza buscas na represa de Nazaré Paulista, no interior de São Paulo. Por volta das 15h, os mergulhadores localizam o carro de Mércia submerso a seis metros de profundidade . Dentro do veículo, todos os pertences da advogada, como o celular e a bolsa.

11 de junho - Por volta das 9h45, pescador encontra corpo de Mércia Nakashima boiando na represa de Nazaré Paulista. Família reconhece o corpo pelas roupas - uma blusa roxa, uma calça jeans e um tênis branco - a mesma que ela usava quando deixou a casa da vó em 23 de maio.

15 de junho - Comerciante que pescava na represa de Nazaré Paulista, interior do Estado, testemunha e diz ter visto o carro da advogada ser jogado no local na noite de domingo, 23 de maio, mesmo dia em que ela sumiu. Delegado Olim diz que advogada teria sido morta nesta mesma noite, sem ter passado por cativeiro .

09 de julho - Suspeito de envolvimento na morte da advogada Mércia Nakashima, o vigia Evandro Bezerra Silva é preso na casa de parentes no município de Canindé do São Francisco, interior do Sergipe. Silva teve a prisão temporária decretada pela Justiça paulista no dia 25 de junho e era considerado foragido .

10 de julho - A Justiça decreta a prisão preventiva de Mizael Bispo de Souza , policial militar aposentado e acusado de participar da morte da ex-namorada.

12 de julho - Mizael permanece foragido. Delegado Olim concede entrevista na qual afirma que Mizael premeditou a morte de Mércia.

14 de julho - Justiça revoga prisão temporária de Mizael. No mesmo dia, ele é indiciado por homicídio doloso triplamente qualificado e ocultação de cadáver contra a ex-namorada.

20 de julho - Mizael presta novo depoimento e, mais uma vez, alega inocência. No mesmo dia, polícia afirma ter novas provas contra o policial aposentado. Também no dia 20, é divulgado o laudo da morte de Mércia, apontando afogamento .

27 de julho - Polícia Civil de São Paulo entrega inquérito do Caso Mércia Nakashima e pede prisão preventiva de Mizael Bispo de Souza e Evandro Bezerra da Silva.

2 de agosto -  Ministério Público oferece denúncia contra Mizael Bispo de Souza e Evandro Bezerra da Silva pelo assassinato de Mércia Nakashima

7 de dezembro - Justiça decreta prisão de Evandro e Mizael, que permaneciam livres graças a recursos de seus advogados. No mesmo dia, os dois são considerados oficialmente foragidos.

2011

23 de janeiro - O irmão de Mércia, Márcio, e a mãe, Janete Nakashima, são perseguidos por motoqueiros. O carro caiu em uma ribanceira em Bom Jesus dos Perdões, cidade a 80 quilômetros de São Paulo.

2012

17 de fevereiro - O Supremo Tribunal Federal (STF) nega o pedido da defesa de Mizael para que o processo seja suspenso até que a corte decida se o julgamento deve ser realizado em Guarulhos ou em Nazaré Paulista.

25 de fevereiro - Mizael se entrega no Fórum de Guarulhos. Segundo a polícia, ele não suportou a pressão de ser procurado.

23 de junho - Evandro é preso na madrugada de sábado no sertão do Alagoas, perto da cidade onde nasceu, Olho d’Água das Flores. Ele é escoltado pela Força Nacional de Segurança até Maceió, capital alagoana, para, no dia seguinte, seguir para São Paulo.

4 de dezembro - O STF decide que Mizael e Evandro serão julgados em Guarulhos, na Grande São Paulo. Para o defensor de Mizael, o advogado Ivon Ribeiro, havia forte clima de comoção popular em Guarulhos, o que poderia prejudicar o acusado.

5 de dezembro - O juiz Leandro Cano marca o julgamento dos réus para o dia 11 de março de 2013.

2013

14 de fevereiro - Em audiência de justificação, os advogados de Evandro entregam o caso alegando desobediência do cliente, que mudou três vezes sua versão para os fatos. Nesse mesmo dia, o processo é desmembrado: o julgamento de Mizael permanece marcado para o dia 11 de março, mas o de Evandro é remarcado para o dia 29 de julho do mesmo ano.

25 de fevereiro - Evandro constitui novos defensores: Harildo de Oliveria e Marcio Gomes Modesto.

06 de março - O advogado de Evandro, Harildo de Oliveira, afirma ao iG que a família de Mizael ofereceu R$ 6 mil para que o vigia mudasse novamente sua versão para os fatos.


    Leia tudo sobre: Mércia NakashimamorteSão Paulo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG