CPTM é essencial e greve não deveria existir, diz Kassab

Prefeito de SP diz que prefeitura recomendou às concessionárias de ônibus que utilizem o maior número de veículos

AE |

selo

O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, disse hoje ser contra a possibilidade de greves em serviços como o de transporte ferroviário, prestado pela Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM). "No meu entendimento, são serviços essenciais e, portanto, a greve não deveria existir. Espero que essa questão seja resolvida ao longo do dia", afirmou Kassab, durante a Cúpula C40, que reúne representantes de metrópoles de vários países para o debate sobre mudanças climáticas.

Kassab afirmou que desde ontem a prefeitura recomendou às concessionárias de ônibus da capital que utilizem o maior número de veículos "para atenuar ao máximo o desconforto da população" causado pela paralisação dos trens da CPTM.

O prefeito negou que o trânsito afete a capacidade da cidade de São Paulo de realizar grandes eventos, como a C40. "É evidente que qualquer grande centro urbano tem trânsito, e os eventos também acontecem nessas cidades", disse, citando Nova York, Londres e Paris. "Porém, vamos continuar caminhando com investimentos no transporte público para, ao longo dos anos, não haver tanto trânsito."

Kassab negou também que a Fórmula Indy, último grande evento internacional realizado em São Paulo (no fim de abril e início de maio), tenha comprometido o trânsito da cidade. "A cidade soube entender que haveria a prova e acabou se adaptando, e o trânsito foi até menor."

AE
Usuários tentam embarcar na Estação de Metrô Corinthians - Itaquera, ponto de interligação entre trem, metrô e ônibus, na zona leste de São Paulo

    Leia tudo sobre: tremgrevecptmsão paulo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG