Coren vai investigar enfermeira que cortou dedo de bebê

Após ouvir envolvidos no caso, Conselho de Enfermagem deve decidir se auxiliar continuará a exercer a profissão

AE |

selo

Futura Press
Criança passou por cirurgia, mas médicos não conseguiram reimplantar ponta do dedo
O Conselho Regional de Enfermagem de São Paulo (Coren) irá apurar a responsabilidade da auxiliar de enfermagem que decepou a ponta do dedo de uma menina de um ano internada no Hospital Geral do Mandaqui, na zona norte da capital paulista. Segundo o Coren, após ouvir os envolvidos no caso, a abertura de um processo ético contra a auxiliar de enfermagem será avaliada.

A menina teve a ponta do dedo mínimo cortada por uma auxiliar de enfermagem na manhã de domingo enquanto a profissional retirava uma bandagem colocada para imobilizar a mão da criança, que havia recebido medicação intravenosa. A paciente foi internada no sábado para tratar uma anemia. Após a garota receber alta hospitalar, a auxiliar retirava a bandagem com o auxílio de uma tesoura, e acabou decepando a ponta do dedo.

De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde, a menina foi encaminhada ao centro cirúrgico assim que foi constatado o ferimento, mas não houve a possibilidade de reimplante do tecido cortado. O Conjunto Hospitalar do Mandaqui determinou o afastamento por tempo indeterminado da auxiliar de enfermagem. A secretaria informou ainda que a auxiliar de enfermagem trabalha há cerca de 10 anos no hospital e pode ser exonerada caso seja constatada falta grave.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública, o pai da garota registrou boletim de ocorrência no 9º Distrito Policial. Ele e a auxiliar de enfermagem prestaram depoimento. Ela assinou um termo circunstanciado e responderá por lesão corporal culposa (quando não há intenção).

    Leia tudo sobre: auxiliar de enfermagemerrocorte de dedocriança

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG