Obra custou R$ 85 milhões e é a última que faltava ser entregue para a conclusão do chamado complexo da "Nova Marginal"

selo

Após quase dez meses de atraso, a ponte estaiada da Marginal do Tietê, em São Paulo, será inaugurada nesta quarta-feira. A obra custou R$ 85 milhões e é a última que faltava ser entregue para a conclusão do chamado complexo da "Nova Marginal".

Policiais do Grupo de Ações Táticas Especiais (GATE) realizam varredura momentos antes da inauguração
AE
Policiais do Grupo de Ações Táticas Especiais (GATE) realizam varredura momentos antes da inauguração
A nova ponte vai ligar a avenida do Estado à pista central da Marginal do Tietê (no sentido para a rodovia Castelo Branco), ao lado do Anhembi. A ponte é estaiada (com cabos, mesmo modelo usado na Marginal do Pinheiros) e tem 660 metros de extensão, por onde devem passar 20 mil veículos por dia.

Inicialmente, será inaugurada incompleta, sem uma ligação para o bairro do Bom Retiro, na região central, que estava prevista no projeto executivo. Essa alça não tem data para sair do papel, pois ainda há desapropriações de imóveis para a obra, segundo a Desenvolvimento Rodoviário S.A (Dersa) - responsável pelo empreendimento.

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) publicou no Diário Oficial do Estado um decreto no qual deu à ponte o nome de Governador Orestes Quércia - em homenagem ao político morto no ano passado. Quércia era adversário e desafeto do também ex-governador Mário Covas, padrinho político de Alckmin. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.