Chuva diminui e São Paulo sai do estado de atenção

Foi registrada queda de granizo na zona oeste e uma árvore caiu na região da avenida Paulista

iG São Paulo |

Helio Torchi/Futura Press
Nuvens carregadas na região do Jaçanã, na zona norte de São Paulo
A chuva que atingiu a região metropolitana de São Paulo nesta quarta-feira deixou todas as regiões da capital paulista em estado de atenção até as 16h50, informou o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE) da Prefeitura. Neste momento, ainda há o registro de apenas um ponto de alagamento, na rua Romão Gomes, no Butantã, zona oeste da cidade.  

De acordo com a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), às 18h20, a cidade tinha 47 quilômetros de lentidão, índice dentro da média para o horário. Os piores pontos estão no Corredor Norte/Sul, sentido Aeroporto, da praça da Bandeira até o viaduto Borges Lagoa (6 Km); no Corredor Norte/Sul, sentido Santana, do complexo viário João Jorge Saad até a praça da Bandeira (5,4 Km), na Radial Leste, sentido bairro, do viaduto Pires do Rio até o viaduto Engenheiro Alberto Badra (3,5 Km); e na avenida Ibirapuera, sentido bairro, do viaduto Pedro de Toledo até a avenida dos Bandeirantes (2,4 km).

Em decorrência da chuva, duas árvores caíram em São Paulo no final da tarde. Uma das quedas foi na alameda Campinas, próximo ao cruzamento com a avenida Paulista, às 16h28. A faixa da esquerda e a calçada estão interditadas para a remoção da árvore. A outra queda foi no viaduto Pacaembu, sentido Marginal Tietê, às 16h27. A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) não informou se há interdições de faixas.

Segundo o CGE, as chuvas perderam intensidade em toda a capital, que registra precipitação fraca e chuviscos em praticamente todos os bairros. As áreas de instabilidade mais intensas já se encontram nas cidades da Baixada Santista, e se deslocam em direção ao oceano.

Na Grande São Paulo, ainda há registro de chuva forte em parte de Santo André, São Bernardo do Campo e Suzano. Nos demais municípios, a chuva é fraca com pontos moderados. Por volta de 15h50, segundo o CGE, foi registrada queda de granizo na região da Barra Funda, zona oeste.

Às 16h, o aeroporto do Campo de Marte registrou rajadas de vento de até 54km/h. Às 16h03, a velocidade dos ventos chegou a 58km/h no aeroporto de Guarulhos. Imagens de outros radares indicam que chuvas mais relevantes se encontram no sudoeste de São Paulo, mas não devem se dirigir para a faixa leste do Estado, região onde se encontra a capital.

Nas próximas horas, as chuvas diminuem ainda mais na região metropolitana, que deve registrar apenas chuvas leves e chuviscos isolados. A CET acionou seu plano emergencial de atendimento às enchentes. Os agentes de trânsito em serviço foram deslocados para monitorar os principais corredores de trânsito e locais com maior possibilidade de alagamentos, como a Marginal Tietê, a Marginal Pinheiros, o Vale do Anhangabaú e os entornos dos rios Tamanduateí, Aricanduva, Ipiranga e Pirajussara.

Riscos de deslizamento

A Coordenadoria Municipal de Defesa Civil colocou em estado de alerta 11 regiões da capital paulista por risco de deslizamentos de terra. As regiões são Aricanduva/Formosa, Butantã, Campo Limpo, Cidade Ademar, Guaianases, Ipiranga, Itaquera, Jabaquara, M'Boi Mirim, Pirituba/Jaraguá e Santana. A medida é preventiva, já que podem ocorrer desmoronamentos nesses locais. As regiões de São Mateus, Perus, Vila Prudente, Freguesia do Ó, Jaçanã/Tremembé e Casa Verde estão em estado de atenção para deslizamentos.

Segundo mapeamento realizado pelo Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo (IPT), a cidade de São Paulo possui 407 áreas de risco em 26 subprefeituras . Nessas áreas, além de residências, há vários equipamentos do poder público que sofrem risco de deslizamentos de terra ou inundações, o que contribui para a fixação da população em situação irregular no entorno

Nesta terça-feira, uma mulher de 64 anos morreu dentro de casa no Jardim Zaíra , na cidade de Mauá, no Grande ABC, em São Paulo, na noite de terça-feira, após a forte chuva que atingiu a região. Segundo informações da Defesa Civil, Antônia Avelaneda Grande tentava salvar seus dois netos quando uma forte correnteza invadiu sua casa e derrubou uma das paredes. Nesta quarta-feira, aproximadamente 300 moradores do bairro protestaram por causa dos estragos causados pela chuva na cidade. 

    Leia tudo sobre: chuvaestado de atenção

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG