Chuva deixa quatro mortos e um desaparecido neste fim de semana em SP

Três pessoas morreram após carro ser arrastado pela correnteza em Mogi Mirim; desde o dia 1º de dezembro, 11 pessoas morreram no Estado

AE |

selo

Quatro pessoas morreram e uma segue desaparecida em consequência das fortes chuvas que atingiram municípios paulistas neste fim de semana, segundo informações da Defesa Civil estadual.

Em Mogi Mirim, dois adultos e duas crianças da mesma família morreram no sábado, 11, após o carro em que estavam ser arrastado pela correnteza. Segundo o Corpo dos Bombeiros a chuva forte, que durou uma hora, fez o córrego da Avenida Brasil transbordar. O vidro da frente do carro estourou. O motorista morreu no local. A mulher dele e um menino de 11 anos morreram no hospital.

AE
Ponto de alagamento no bairro do Mandaqui, na zona norte de São Paulo, neste sábado

A chuva também provocou o transbordamento do rio Santo Antonio, inundando vias públicas e imóveis adjacentes. Segundo o Corpo de Bombeiros, a área mais afetada foi a região central. Na Avenida Ariovaldo Silveira Franco, Jardim Panorama, ocorreu o destelhamento do Pavilhão Administrativo e de duas salas de aulas de instrução de atiradores do Quartel do Tiro de Guerra.

A chuva no final de semana: Chuva diminui e São Paulo deixa estado de atenção

Na Avenida Santo Antônio, no centro, uma residência foi interditada preventivamente em decorrência de inundações provocadas pelo transbordamento do Córrego Santo Antônio e na Rua Jorge Duarte Filho, Parque Laranjeiras, enxurradas provocadas pela falta de escoamento das águas de chuva causaram a queda de um muro e o alagamento da residência, comprometendo parte de sua estrutura. As duas famílias, num total de sete pessoas, foram alojadas na casa de parentes e amigos.

Segundo balanço da Defesa Civil do estado, desde o último dia 1º de dezembro, quando teve início a Operação Verão, já foram registradas 11 mortes.

Desaparecido

Em Araraquara, uma chuva forte atingiu a cidade na tarde do sábado e provocou queda de árvores, alagamentos de ruas, prédio público e transbordamento de córrego. O pronto-socorro do bairro Vila Melhado foi alagado e interditado. Os pacientes foram removidos para o Pronto Atendimento do bairro Jardim Xavier.

Na Rua Eitor Bin, no Jardim Tamoio, uma van ocupada por seis passageiros rodou na correnteza quando trafegava pela rua. Cinco pessoas foram resgatadas e encaminhadas à Unidade de Pronto Atendimento do bairro Jardim Xavier. Uma mulher, de aproximadamente 79 anos, foi arrastada pela correnteza e continua desaparecida.

Também no Jardim Tamoio, a ponte que dá acesso ao Jardim Santa Lúcia teve de ser interditada devido ao risco de cair. Sob ela, uma adutora da empresa Cutrale rompeu-se e os produtos químicos vazaram para um córrego. A Companhia de Engenharia Ambiental (CETESB) e a Cutrale foram notificadas para avaliar os danos ambientais e conter o vazamento.

Em Rio Claro, o transbordamento do córrego Wenzel provocou enxurradas, inundações e queda de postes de energia elétrica, além de alagamentos de residências e comércios. Os bairros mais afetados foram Vila Olinda, Jardim Inocoop, Vila Aparecida e Vila Cristina.

Em Embu Guaçu, a defesa civil municipal interditou, preventivamente, nove residências, desalojando 14 famílias, aproximadamente 56 pessoas, todas alojadas em casas de parentes e amigos. Na manhã desta segunda-feira, agentes vistores e engenheiros municipais farão vistorias detalhadas nos locais sinistrados e avaliarão a necessidade de manutenção da interdição.

As chuvas também provocaram o deslizamento de uma encosta localizada na parte inferior da Rua Portugal e, consequentemente, atingiu duas residências localizadas na Rua Chile, na Vila Muforde, em Diadema. Uma foi completamente destruída e outra ficou comprometida. As duas residências estavam desabitadas.

Em consequência ao transbordamento do Ribeirão dos Couros, na Estrada dos Alvarengas, bairro Eldorado, parte do muro do Cemitério Municipal Vale da Paz cedeu, sem provocar vítimas. Os bairros mais afetados foram Serraria, Piraporinha, Centro, Vila Lídia, Caiema, Casa Grande e Eldorado.

Em São Paulo, o desabamento de um muro de contenção do Raposo Shopping, região do Butantã, na zona Oeste, atingiu no fim da tarde de ontem cinco residências localizadas na Rua Sebastião Gonçalves, no Jardim Jaqueline. Três moradias foram interditadas, desalojando 15 pessoas, que agora estão em casas de parentes e amigos.

    Leia tudo sobre: chuvaalagamentosmortestransbordamento

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG