Após mortes, capital vai criar centros de mediação de conflitos para resolver brigas por conta de som alto ou lixo na rua

selo

A Prefeitura de São Paulo vai criar um centro de mediação de conflitos como brigas entre vizinhos por causa de som alto ou lixo na rua. Até o fim do ano, os paulistanos do Campo Limpo, da Vila Mariana e do Parque Ibirapuera (todos na zona sul da cidade) e da Sé (centro) terão espaços novos para discutir a solução de seus problemas.

Leia também: Irmãos são baleados após briga por som alto em bar em São Paulo

Os quatro primeiro centros da capital - previstos no plano de metas do governo, a Agenda 2012 - funcionarão em bases da Guarda Civil Metropolitana (GCM). Até o fim da gestão Gilberto Kassab (PSD), em 2012, a Prefeitura promete abrir centros na área das 31 subprefeituras.

nullA intenção é evitar que discussões de vizinhança (brigas e ofensas de bar) e perturbações de sossego (som alto de festas em casa ou na rua e postos de gasolina) se tornem caso de polícia e precisem ser encaminhadas a delegacias para registro de crime.

A mediação de conflito serve para resolver, por acordo, apenas os casos que não forem criminais, explica o comandante superintendente da GCM, Dalmo Álamo.

Os moradores poderão buscar a conciliação nos centros de mediação ou chamar o mediador para ir até o local do conflito. A solução é um acordo amigável registrado em documento. O telefone 156 da Prefeitura dará orientações.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Leia também :

- Briga por volume de som acaba com estudante baleada em Pernambuco

- Pai e filho são mortos por vizinho após briga de crianças no Rio

- Pai e filho são assassinados após briga entre vizinhos

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.