Caso Vanessa Duarte: suspeito é detido em ponto de venda de droga

Delegado responsável pelo caso diz que testemunhas vão ajudar na identificação do suspeito

Márcio Apolinário, iG São Paulo |

Divulgação
Retrato falado de suspeito de matar Vanessa Duarte. Delegado diz que detido é parecido com ele
O homem que a Polícia Civil deteve na noite de quarta-feira e é investigado por envolvimento na morte da coordenadora de vendas Vanessa Duarte, de 25 anos, teria chegado de táxi a um ponto de venda de drogas em Carapicuíba, na Grande São Paulo, na companhia de Edson Bezerra de Gouveia, principal acusado de ter matado a jovem. As informaçãoes foram passadas nesta tarde pelo delegado responsável pelo caso, Zacarias Tadros, do setor de Homicídios e Proteção à Pessoa.

Segundo Tadros, a polícia recebeu ao menos 300 ligações no Disque Denúncia na quarta-feira (23) sendo que três delas levaram ao local onde o homem foi detido. "No momento da abordagem, ele tentou fugir, mas nós conseguimos pegá-lo. Já o Edson não tivemos sucesso. Mas estamos muito próximos". Ainda de acordo com o delegado, este homem é muito parecido com o suspeito de cor branca.

Nesta tarde, a polícia pretende concluir a identificação deste homem. Tadros adiantou que três pessoas auxiliarão nesta identificação. Segundo ele, elas já teriam colaborado na concepção do retrato falado.

Fuga

De acordo com testemunhas, Edson e o comparsa foram para o interior de São Paulo no dia seguinte ao assassinato de Vanessa Duarte e pretendiam cruzar a fronteira com o Paraguai. O plano, no entanto, deu errado porque a dupla ficou com medo de uma barreira policial. Tadros acredita que o principal suspeito voltou para a região Metropolitana de São Paulo e permanece escondido.

Ainda nesta semana, a Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo (SSP) incluiu o nome e a foto de Edson na lista dos procurados pela polícia. O suspeito é considerado foragido desde a última sexta-feira. De acordo com informações da Secretaria de Administração Penitenciária (SAP), nos últimos 13 anos, o suspeito passou por 24 penitenciárias até ganhar liberdade condicional.

A SAP também informou que a condenação dele era de 15 anos e 8 dias com término de pena previsto para 28 de agosto de 2013. Antes de ser liberado estava cumprindo pena em regime semiaberto, e estava beneficiado para o cumprimento da pena em condicional, desde o último dia 3 de fevereiro.

O caso

O corpo da coordenadora de vendas foi encontrado no domingo (13), no km 41,5 da Rodovia Raposo Tavares, em Cotia, Grande São Paulo. Ela estava desaparecida desde que saiu da casa do noivo, em Barueri, também na Região Metropolitana, entre 8 e 9h de sábado (12), para encontrar suas amigas e irem juntas a um curso de maquiagem, mas não chegou ao local combinado. O corpo foi achado no meio da mata, seminu e apresentando sinais de violência. Próximo ao corpo foram encontrados um preservativo e duas embalagens vazias.

Na mesma manhã, as amigas estranharam a demora e tentaram achá-la. Um policial militar e dois amigos da coordenadora decidiram realizar buscas por contra própria. O carro que a jovem usava foi encontrado abandonado em Vargem Grande Paulista, também na Grande São Paulo, pela Polícia Militar. Uma moradora da região disse que viu quando o veículo foi deixado no local por um homem.

    Leia tudo sobre: vanessa duarteassassinatocrime

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG