Caso Mércia: após prisão decretada, polícia procura vigia

Homem não compareceu para prestar depoimento. Testemunhas dizem que ele era amigo de ex-namorado de advogada e pode ajudar no caso

iG São Paulo |

A polícia procura o vigilante Evandro Bezerra Silva, de 38 anos, suspeito de participar da morte da advogada Mércia Nakashima, em 23 de maio. A Justiça de São Paulo decretou a prisão do vigilante do posto de gasolina de Guarulhos, na Grande São Paulo, na sexta-feira, após ele não comparecer para prestar depoimento. Há dez dias ele é procurado pela polícia. 

Silva abandonou o posto de gasolina Bonsucesso, onde trabalhava como vigia, após a morte da advogada. Ele seria amigo do policial militar aposentado Mizael Bispo de Souza, ex-namorado da vítima e apontado pela polícia como o principal suspeito do crime. Segundo testemunhas, os dois foram vistos conversando dias antes de Mércia desaparecer e, depois disso, o vigilante não apareceu mais no posto.

“Uns dias antes dessa menina desaparecer esse Bispo esteve aqui no posto. Ele ficou um tempão no carro parado trocando ideia com esse funcionário dele. Depois, no dia seguinte, ele (funcionário) sumiu. Não veio mais trabalhar. Você passa isso pro delegado. E é o seguinte: ele conhece a região todinha, tanto o Bispo quando esse funcionário dele”, afirmou um homem por telefone a familiares de Mércia. ( ouça o audio )

Na quinta-feira, um homem que se identificou como Evandro ligou para a família de Mércia e exigiu R$ 10 mil para entregar as luvas supostamente utilizadas pelo criminoso que empurrou o carro para dentro da água. A polícia deverá comparar a voz da gravação com a do suspeito.

A polícia também investiga uma informação de que, em uma conversa com um amigo por telefone, o vigia teria dito que fez uma "grande besteira". Na semana que vem, a polícia convocará Mizael para depôr pela quarta vez.

(*com informações da Agência Estado)

    Leia tudo sobre: Mércia Nakashima

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG