Cão enterrado vivo melhora e tem 17 pretendentes a dono

Animal recebeu ajuda de todo o País e até ração especial enviada de moto-táxi desde cidade a 100 quilômetros de distância

iG São Paulo |

O filhote de 4 meses, que passou 12h enterrado na cidade de Novo Horizonte, no interior de São Paulo, melhorou. Na noite de sexta-feira ele abriu parcialmente os olhos, bebeu água de coco e uma ração especial enviada por uma juíza de Ibitinga, a 100 quilômetros de distância, por moto táxi. Outras pessoas ligam para oferecer ajuda e a lista de pretendentes para adoção já conta com 17 nomes de várias cidades e até do Estado da Bahia.

Divulgação
Filhote foi encontrado com sarna em estado avançado na cidade de Nova Horizonte
"A situação ainda é complicada, mas tem muita gente ajudando. As pessoas querem buscar, pagar as despesas, é bonito de ver", diz o presidente da Associação de Proteção aos Animais 'Mão Amiga', Marcos Antônio Rodrigues.

Entenda o caso: Cão de 4 meses é resgatado após passar 12h enterrado

Na clínica veterinária onde o filhote está sendo tratado ele ganhou o nome de Titã, em referência a ter sobrevivido debaixo da terra, após ter sido cruelmente enterrado vivo. Outros profissionais também ligaram para oferecer ajuda, como uma oftalmologista veterinária.

Resgate

 A denúncia veio de uma vizinha que acompanhava a situação do animal. "Ela já tinha visto o cachorro sofrendo maus tratos. Um integrante da associação tentou encontrá-lo e não conseguiu. Ao falar com a mulher sobre o susposto sumiço, ela disse que o dono poderia ter enterrado", explicou Rodrigues.

Um integrante da associação que buscava o filhote nas ruas da cidade decidiu olhar em um terreno na região e percebeu que uma parte da terra 'se movia'. "Foi muito rápido. Ele contou que cavou e logo viu o animal ainda vivo e tremendo", afirma o presidente da entidade. O cachorro foi socorrido e levado para a clínica veterinária. A previsão é que em 15 ou 20 dias ele esteja pronto para ganhar um novo lar.

A associação informou que já teria apresentado um termo circunstanciado à Justiça e o suspeito de enterrar o cachorro deve ser investigado pelo crime de crueldade contra animais. "Queremos que ele pague pelo que fez. Muitos animais estão sendo maltratados e a polícia precisa fazer alguma coisa" desabafou Rodrigues. 

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG