Butantan recupera livros históricos após incêndio

Os originais estavam armazenados em um local distante da área atingida pelas chamas

iG São Paulo |

nullO Instituto Butantan informou nesta tarde que recuperou 42 livros de registro da coleção de serpentes após o incêndio ocorrido no prédio das coleções no último sábado. 

Os originais estavam armazenados em um local distante da área atingida pelas chamas. Três livros que estavam no prédio ainda não foram localizados. De acordo com o Instituto, os livros contêm registros de todas as espécimes que estavam armazenadas no galpão destruído pelo fogo. 

Além disso, foram resgatados os arquivos digitalizados referentes aos livros, que tinham sido copiados e arquivados em outro local e todo o material didático enviado às escolas. 

Os pesquisadores que trabalhavam na unidade agora desenvolverão provisoriamente seus estudos em outra área do Instituto. As causas do incêndio são investigadas pela polícia.

"100 anos de história"

Na segunda-feira, funcionários do prédio transferiram parte do acervo de cobras e artrópodes. Em luto, eles aguardam o trabalho da perícia para apurar todo o prejuízo causado pelo incêndio.

O acervo digitalizado também pode ter sido perdido. Uma funcionária estava catalogando digitalmente documentos, livros e projetos científicos. O trabalho, que não estava concluído, poderia diminuir o impacto do incidente, caso seja localizado. Os registros em papel foram queimados.

"Todo o conhecimento do Brasil estava aqui. São 100 anos de história", disse o cientista Francisco Franco, curador da coleção.

Fundado em 1901, o Instituto Butantan é um centro produtor de vacinas e um importante centro de pesquisa biomédica. O laboratório trabalha em vários projetos sobre o uso de venenos de répteis, que estavam sendo provados no combate a doenças como a leishmaniose e o mal de Chagas.

Recentemente, o Butantan também foi o órgão público encarregado de desenvolver no Brasil a vacina contra a gripe H1N1, a partir da cepa fornecida pelo laboratório francês Sanofi Pasteur.

    Leia tudo sobre: butantan

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG