Bebê não morreu por corte feito com bisturi, diz IML de SP

Família de bebê dizia que um corte de bisturi feito nas costas, durante a cesariana, seria a causa da morte de recém-nascido

AE |

selo

A Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo informou nesta quinta-feira, em nota, que o laudo do Instituto Médico Legal (IML) concluiu que o bebê que morreu no hospital municipal do Campo Limpo, no dia 29 de agosto, faleceu em "decorrência de hipóxia (baixa oxigenação) em razão de sua prematuridade pulmonar".

Na época, a família do bebê afirmou que um corte feito nas costas dele, causado pelo bisturi quando o médico fazia a cesariana, teria sido o responsável pela morte do recém-nascido.

Segundo a nota sobre o laudo, "no procedimento de urgência (cesariana), de difícil realização, houve uma lesão de 2,1 cm no dorso do bebê, ocasionada pelo bisturi".

"O corte, no entanto, afetou somente a derme do recém-nascido - não houve comprometimento de nenhum órgão interno", acrescentou o documento.

Sindicância do Conselho Regional de Medicina de São Paulo (Cremesp) está em andamento para investigar o caso. A Polícia Civil também apura o caso.

    Leia tudo sobre: bebêbisturi

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG