Bando invade shopping na zona sul de São Paulo

Criminosos renderam os vigilantes e arrombaram máquina do Banco do Brasil

AE |

selo

A Polícia Civil tenta esclarecer se um suspeito, armado com um fuzil e preso nesta madrugada na região do Capão Redondo, zona sul de São Paulo, faz parte do bando que, por volta da 1h30, invadiu o Shopping Campo Limpo, localizado na Estrada do Campo Limpo, na mesma região.

De fuzis, metralhadoras e escopetas calibre 12, parte dos criminosos rendeu os vigilantes, que foram amarrados e deixados na sala da segurança. Os demais bandidos foram até a área dos caixas eletrônicos e tiveram tempo de arrombar uma máquina do Banco do Brasil. Eram 2 horas quando a Polícia Militar foi acionada pela central de monitoramento, alertada pelo alarme do banco. No momento em que a PM chegou ao shopping, o bando já havia fugido, deixando para trás um maçarico e CPUs do sistema de monitoramento por câmeras do shopping.

Até as 5 horas, os seguranças não tinham esclarecido à polícia como a quadrilha conseguiu entrar no prédio. Não se sabe ainda quanto foi levado da máquina nem mesmo se algum valor foi retirado do cofre. Os policiais agora irão realizar um levantamento nos carros remanescentes no estacionamento do shopping para saber se entre eles há algum suspeito de pertencer ao bando.

Prisão

Uma hora antes de a PM ser acionada e se deslocar para o shopping, Vágner Nunes Pinheiro, de 34 anos, ao lado de um comparsa, foram abordados por policiais militares na mesma região. Ocupando um Gol cinza com vidros escuros, a dupla se recusou a parar e foi perseguida. Já na rua Grenoble, depois de abandonarem o carro e saírem correndo, os dois tentaram dominar um motoqueiro para continuar a fuga no veículo da vítima, mas Pinheiro acabou dominado pelos policiais. O segundo suspeito conseguiu fugir.

Suspeita

Com passagens pela polícia por porte ilegal de arma e roubo, Vágner, que já havia cumprido a pena, foi encaminhado ao 37º Distrito Policial, do Campo Limpo, e autuado por porte ilegal de arma e tentativa de roubo (da moto). Mesmo sendo preso antes do ocorrido no shopping, uma ligação feita posteriormente ao celular de Nunes e atendida pelos policiais e o tipo de arma encontrada com ele levam a polícia a acreditar no envolvimento do rapaz com o bando que entrou no shopping. Ao atender ao celular, o policial ouviu do desconhecido a seguinte frase: "Não deu certo não, levamos muito pouco".

AE
Bandidos armados com fuzis, metralhadoras e escopetas calibre 12 invadiram o shopping durante a madrugada

    Leia tudo sobre: iGsão pauloshoppingassalto

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG