Bandidos explodem caixa eletrônico na zona leste de SP

Apesar de danificar boa parte da mercadoria da farmácia invadida, criminosos não conseguiram arrombar cofre

AE |

Um caixa eletrônico da rede Banco 24 Horas foi explodido por criminosos, por volta das 3h no interior da drogaria Betty Farma, localizada na avenida Pires do Rio, região de Itaquera, na zona leste de São Paulo.

 A explosão, apesar de danificar boa parte do que estava à venda dentro da farmácia, não conseguiu arrombar o cofre da máquina.

Os criminosos, segundo a PM, fugiram em um Hyundai Santa Fé. Um pé de cabra foi deixado pelos bandidos em frente ao estabelecimento. Policiais militares da 1ª Companhia foram acionados e encaminharam a ocorrência para o 32º Distrito Policial, de Itaquera.

Substância

Dois homens foram presos na segunda-feira (6), na zona leste, com um material que limpa a mancha rosa deixada em cédulas roubadas . As notas estavam imersas em uma substância, dentro de um filtro de água de porcelana. O Instituto de Criminalista analisa a substância para revelar qual o princípio do composto químico.

Divulgação / Deic
Dinheiro foi encontrado imerso em substância que limpa cédulas manchadas
A ação faz parte da Operação Caixa Preta, realizada pelo Departamento de Investigações sobre o Crime Organizado (Deic), que tem o objetivo de prender quatro quadrilhas envolvidas em roubos de caixas eletrônicos na capital e na Grande SP. A operação começou há dois meses e meio e já prendeu 31 pessoas, sendo sete policiais militares em atividade e um ex-policial militar. A polícia suspeita que mais de cem pessoas pertençam a essas quadrilhas.

Notas manchadas não valem mais

O Conselho Monetário Nacional (CMN) e o Banco Central (BC) aprovaram, na semana passada, uma regulamentação estabelecendo que as cédulas danificadas por dispositivos antifurto não têm mais validade , não podendo mais ser utilizadas como forma de pagamento. A estimativa é de que 75 mil notas em circulação no País tenham a marca antifurto.

Caso uma pessoa possua uma cédula suspeita de fruto de roubo, deve levá-la a uma agência bancária que vai encaminhá-la ao BC. Se ficar comprovado que o dinheiro foi manchado por um dispositivo de caixa eletrônico, a nota fica retida e a pessoa não é ressarcida.

*com AE

    Leia tudo sobre: roubo de caixa eletrônico

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG