Bala de calibre 38 matou menino em escola de Embu, diz polícia

Menino de 9 anos foi baleado a queima roupa dentro de sala de aula. Enterro aconteceu nesta tarde

Lectícia Maggi, iG São Paulo |

nullA Polícia Civil de Taboão da Serra, na Grande São Paulo, mantém as buscas por pistas sobre a localização da arma de onde partiu o tiro que matou o estudante Miguel Cestari Ricci dos Santos, de 9 anos. Ele foi atingido dentro da sala de aula no Colégio Adventista, localizado na Chácara Lídia em Embu.

A roupa que Miguel vestia quando foi baleado e um pano de chão foram recolhidos pela polícia e estão na delegacia de Taboão. O delegado da Polícia Civil de Taboão da Serra Carlos Eduardo Cerone, que assumiu o caso, afirmou nesta quinta-feira que o tiro que atingiu o menino era de calibre 38 e foi disparado de curta distância.

O inquérito foi registrado na delegacia de Embu, mas foi transferido à delegacia seccional de Taboão da Serra, que possui maior estrutura para apurar o caso. Cerone foi nesta manhã ao Instituto Médico Legal da cidade para conversar com peritos que analisaram o corpo da criança e verificaram as roupas que Miguel usava quando foi baleado.

AE
Um policial e um funcionário entram no pavilhão onde fica a sala de aula onde um menino foi baleado
Segundo o médico Marcos David, do Family Hospital onde o garoto foi atendido, a camiseta dele tinha grande quantidade de pólvora o que indica provavelmente que o tiro foi a queima-roupa. A criança chegou ao local por volta das 11h50 em estado gravíssimo e foi encaminhada diretamente ao centro cirúrgico. A bala atravessou o intestino e estava alojada no rim direito. "Logo no início da cirurgia ele teve parada cardiorrespiratória e foi tentada a ressuscitação por uma hora, mas sem sucesso", afirmou.

Ale Cabral/ Futura Press
A mãe de Miguel, ao centro, é amparada durante o enterro nesta quinta-feira em São Paulo
O delegado também irá até a escola para verificar a sala onde ele estudava. Duas perícias já foram realizadas no local mas o resultado delas ainda não foi divulgado.

Pais do menino, professores e alguns amigos já foram ouvidos mas a polícia ainda não sabe quem teria disparado contra a criança. Em nota, a escola - que suspendeu as aulas até segunda-feira - afirmou que está colaborando "em todos os sentidos" com as autoridades. "Esperamos que os fatos sejam elucidados o mais rápido possível."

O corpo de Miguel saiu nesta manhã do IML da cidade e seguiu ao Cemitério São Paulo, na zona oeste de São Paulo, onde foi enterrado por volta da 16h30. Durante o sepultamento, rosas vermelhas foram jogadas pela família.

    Leia tudo sobre: tirocriançamorteescola

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG