Maria Cristina Galante afirma ter sido contaminada pelo vírus HIV durante uma transfusão de sangue em 1986, após sofrer acidente

selo

Autora de uma ação contra a Santa Casa de Misericórdia de Araras, no interior de São Paulo, a fonoaudióloga Maria Cristina Denardi Galante arrematou, em leilão no dia 2, por R$ 9 milhões, o prédio onde funcionam o hospital e a maternidade.

Maria Cristina processou o hospital há 12 anos. Ela afirma ter sido contaminada pelo vírus HIV durante uma transfusão de sangue, em 1986, após sofrer um acidente. A fonoaudióloga diz que entrou com ação indenizatória para cobrir os custos do tratamento, muito altos na época.

O fato de Maria Cristina ter arrematado o imóvel virou assunto na cidade. “Só fiz isso porque não houve lance de nenhuma outra parte. Estava no meu direito e, para encerrar o processo, aproveitei o meu crédito e comprei o imóvel”, afirmou a fonoaudióloga sobre o segundo leilão ordenado pela Justiça. Na prática, foi como se ela tivesse trocado a indenização pelo prédio.

Maria Cristina nega que tenha a intenção de fechar parte do hospital e afirma que a prefeitura e a Santa Casa terão prioridade na compra do imóvel. “Se houver interesse deles em reaver o imóvel, não haverá problema algum. Eu só não podia esperar mais”, conta, destacando que a ação se arrasta há mais de dez anos.

Por meio de nota, a prefeitura de Araras informou que acompanhou todo o processo do leilão do prédio da Santa Casa de Misericórdia e tomou as medidas que julgou necessárias. O prédio foi declarado de utilidade pública, para fim de desapropriação, além de ter sido tombado historicamente, limitando-o ao atendimento hospitalar. Com isso, nenhuma outra atividade poderá ocorrer no local. A desapropriação deve ser feita em até cinco anos.

Como o valor da dívida da Santa Casa com a autora da ação era de R$ 8,9 milhões, Maria Cristina deveria depositar até ontem a diferença de R$ 63 mil. Ela disse ter feito o depósito antes do horário de fechamento dos bancos.

O advogado de defesa da Santa Casa, Luiz Sergio Leonardi Filho, informou que entrará hoje com recurso de embargo à execução, com o objetivo de reverter o leilão. “A Santa Casa sempre optou por recorrer, porque entende que o valor pedido é bastante elevado e fora dos parâmetros jurisprudenciais”, declarou Leonardi Filho. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.