As provas estão mostrando a inocência dele, diz defesa de Mizael

Justiça de Guarulhos ouve testemunhas que podem ajudar a esclarecer o assassinato da advogada Mércia Nakashima

Lectícia Maggi, iG São Paulo |

Ao término do depoimento do pescador, testemunha sigilosa que teria visto o carro de Mércia Nakashima afundar na represa de Nazaré Paulista, o advogado de Mizael Bispo de Souza, Samir Haddad, afirmou que o dia foi “favorárel” aos réus. “As provas estão mostrando a inocência. As próprias testemunhas de acusação”, disse. O juiz Leandro Bittencourt Cano, da Vara do Júri de Guarulhos, na Grande São Paulo, começou a ouvir, nesta segunda-feira, as testemunhas que podem ajudar a esclarecer o assassinato da advogada, de 28 anos .

AE
Mizael Bispo (e), no visto em corredor do Fórum Central de Guarulhos, na Grande São Paulo, ao lado de um dos seus advogados
Haddad se mostrou indignado pelas denúncias feitas pelos irmãos de Mércia, Claudia e Márcio, de que Mizael estaria ameaçando a família. Os dois afirmam que coincidências estranhas como uma batida de carro e um quase atropelamento aconteceram nas últimas semanas. “Maré de azar, má fase todos passam. Quero ver provar que o Mizael está envolvido nisso. Se um cliente meu ameaçar ir atrás de uma testemunha eu abandono o caso.”

Ele acrescentou que, em sua opinião, isso é uma estratégia da acusação para pedir a prisão preventiva de Mizael e do vigia Evandro Bezerra da Silva. Mas afirmou que é infundada e que isso não deve acontecer. “Mizael vai colaborar até o final. Começou a onda de denuncismo, que tudo o que acontece de mal é a pessoa. Virou um imã.”

Já o advogado da família de Mércia, que atua como assistente de acusação, Alexandre Sá Domingues, classificou como “robustos” os depoimentos dados nesta segunda-feira. Ele afirmou também que o pescador confirmou novamente o que já declarou em outras ocasiões. “Ele estava pescando no lago quando disse que ouviu gritos e viu um carro descendo a rampa. Depois uma pessoa com a estatura do Mizael saiu do veículo. Ele disse que não chamou a polícia porque não sabia do que se tratava e só foi se tocar quando foi cortar o cabelo e barbeiro falou do desaparecimento da Mércia.”

    Leia tudo sobre: mérciacrimeassassinatomizael bispo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG