Após decisão judicial, Center Norte não abre nesta quarta

Shopping informou que interdição "não refere a existência de perigo iminente" e que fechamento garante que obras serão avançadas

iG São Paulo |

A direção do Shopping Center Norte informou na noite de terça-feira (5) que, após ter liminar cassada pela Justiça , permanecerá fechado e que pretende concluir  o "mais rapidamente possível" as obras de implantação de todo o sistema de mitigação dos gases. O Tribunal de Justiça de São Paulo reconsiderou a decisão de manter o Center Norte funcionando e cassou a liminar que permitia que o estabelecimento continuasse aberto.

Leia também:  Sindicato faz manifestação em frente ao Shopping Center Norte

AE
Viaturas policiais são vistas na porta do Center Norte. Justiça determinou fechamento na terça-feira
Segundo a direção do Center Norte, "a decisão judicial não refere a existência de perigo iminente de explosão". Adicionaram ainda que os trabalhos de implantação do sistema de mitigação dos gases tiveram um grande avanço já que dez drenos foram instalados. "A expectativa é de que o shopping Center Norte conclua a instalação dos drenos antes do prazo estabelecido pelas autoridades competentes", diz nota do shopping.

A nova decisão foi tomada na tarde de terça-feira pelo juiz Emílio Migliano Neto, o mesmo que havia concedido o direito de abertura do complexo. O juiz mudou sua decisão após a Prefeitura de São Paulo entrar na 7ª Vara da Fazenda Pública com recurso contra a liminar e exigir novamente o fechamento do shopping . Em nota, a prefeitura chegou a afirmar que "determinou que técnicos e fiscais tomem as providências cabíveis" e ressaltou sua preocupação com a segurança dos consumidores, lojistas e trabalhadores.

A notícia sobre o vazamento do gás metano no local “só trouxe prejuízos e afastou clientes”, dizem lojistas durante visita do iG ao local na última sexta-feira. Para o empresário Valdir Guarnieri, sócio-proprietário da churrascaria Estrela do Sul, localizada no estacionamento do complexo, o movimento em seu estabelecimento caiu 95% e seu prejuízo já chegava a R$ 47 mil .

Construído em cima de um lixão em 1984, o Center Norte é segundo maior shopping de São Paulo em movimentação, por onde passam 80 mil pessoas diariamente, de segunda a sexta-feira, e 120 mil nos finais de semana.

Histórico do problema

De acordo com a Câmara Municipal de São Paulo, o desentendimento da Cetesb com a administração do shopping Center Norte teve início em 2003, quando foi feita a primeira vistoria no local a pedido da, na época, Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investigava a responsabilidade por contaminação e o passivo ambiental na cidade.

Os vereadores e técnicos questionavam a eficácia dos respiros instalados para a eliminação do gás metano na área do estacionamento e nas calçadas do lado externo do shopping. O gás é consequente da construção ter sido feita em terreno onde funcionava um depósito de lixo.

A Câmara informa que a Cetesb, em 2004, avaliou que “os poucos dados disponíveis e levantados não possibilitaram uma conclusão definitiva a respeito da contaminação da área”. Outras vistorias feitas em 2010, no entanto, apontaram a área como local de concentração de metano.

Reprodução

    Leia tudo sobre: shopping center nortelixãogás metanointerdição

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG