Acusado de matar ex-namorada, Mizael se entrega

O advogado e policial militar aposentado estava desaparecido desde dezembro de 2010 quando sua prisão preventiva foi decretada

Fernanda Simas, iG São Paulo |

AE
Mizael Bispo de Souza se entregou nesta sexta-feira (24)
O principal suspeito de matar a advogada Mércia Nakashima, o advogado e policial militar aposentado Mizael Bispo, entregou-se na tarde desta sexta-feira (24) à Justiça, no fórum de Guarulhos, em São Paulo. Ele se apresentou ao juiz Leandro Bittencourt Cano por volta das 17h30, acompanhado de três advogados, foi para a Corregedoria-Geral da Polícia Militar e, em seguida, será levado ao presídio Romão Gomes.

Veja a cronologia do crime

Mizael estava foragido desde o dia 7 de dezembro de 2010. Ele foi denunciado pelo homicídio triplamente qualificado (por motivo torpe, por meio cruel e uso de recurso que dificultou defesa da vítima) da ex-namorada e ocultação de cadáver.

O crime

Mércia foi vista pela última vez no início da noite do dia 23 de maio de 2010, no bairro Macedo, em Guarulhos, na casa da avó. Depois que saiu de lá, não fez mais contato com amigos ou a família.

AE
Mizael chega ao IML
No dia do sumiço de Mércia, o advogado alegou que foi visitar a filha e um irmão, com quem almoçou e, depois, saiu com uma garota de programa. Um fato que complicou a situação de Mizael na época foi que o rastreador do carro dele mostrou que das 18h40 às 22h38 ele ficou estacionado em frente ao estacionamento do Hospital Geral de Guarulhos, em uma rua a menos de cinco minutos da casa da avó de Mércia.

No dia 11 de junho daquele ano, um pescador encontrou o corpo de Mércia boiando em uma represa de Nazaré Paulista. No mesmo local, um dia antes, homens do Corpo de Bombeiros de Atibaia já haviam localizado o veículo da vítima, com todos os pertences dela dentro.

Mizael e o vigia Evandro Bezerra da Silva são os principais suspeitos do crime. Os dois dizem ser inocentes e ainda não houve julgamento. De acordo com a família da vítima, Mizael não se conformava com o fim do relacionamento, insistia para que eles reatassem e a perseguia.

Com base nas investigações e depoimentos, a polícia acredita que Mércia saiu da casa da avó e encontrou-se com Mizael em um local próximo. Ele entrou no carro dela, modelo Honda Fit, e os dois seguiram até a represa de Nazaré Paulista.

No local, Mizael agrediu e deu um tiro no queixo da advogada, que desmaiou, segundo a polícia. Ele então saiu do carro e o empurrou para dentro da água com Mércia, ainda viva, no interior do veículo. Pouco depois, Evandro buscou Mizael na represa, conforme haviam combinado, e Mércia morreu afogada.

Foragidos

Em dezembro de 2010, Mizael e Evandro tiveram a prisão preventiva decretada após familiares de Mércia e o delegado do caso terem sofrido ameaças. Na mesma decisão, o juiz determinou que os dois devem ir a júri popular, em data ainda a ser definida. O vigia Evandro continua foragido.

Em fevereiro e em abril de 2011, Mizael e Evandro tiveram o pedido de habeas corpus negado. O Superior Tribunal de Justiça (STJ) também rejeitou o pedido de liminar de Mizael para transferir o julgamento de Guarulhos para Nazaré Paulista, onde ele atuou como policial.

Leia outras notícias sobre o crime:

- "Mizael foi quem matou Mércia", afirma delegado do caso

- Polícia diz ter nova prova que incrimina ex de Mércia Nakashima

- Tenho 200% de certeza de que não foi ele, diz advogado

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG