Acusado de abusar de menina sequestrada continua foragido

Manoel Lopes de Araújo Filho, de 43 anos, também é fugitivo do Centro de Progressão Penitenciária (CPP) de Tremembé

iG São Paulo |

O homem acusado de abusar sexualmente de uma menina de oito anos, mantida em cativeiro em um imóvel da rua Artur Montenegro, no Jardim Sidra, na zona leste de São Paulo, até a tarde de domingo (28), segue foragido. Segundo a polícia, Manoel Lopes de Araújo Filho, de 43 anos, também é fugitivo do Centro de Progressão Penitenciária (CPP) de Tremembé.

De acordo com a corporação, a vítima, que foi sequestrada no dia 14 de novembro, conseguiu pegar um telefone celular, ligou para o Centro de Operações da Polícia Militar (Copom) e contou sobre o sequestro e sua localização.

Na ligação, a menina relata que estava sofrendo abusos, passando fome e era mantida dentro de um guarda-roupa. A atendente do Copom chegou a pensar que se tratava de um trote. Em seu pedido de ajuda, a garota disse não aguentar mais a situação. “Por favor, moça, me ajuda, eu não aguento mais.”

Após receberem a ligação, policiais militares foram até a residência indicada pela menina, mas tiveram a entrada negada. Outra viatura seguiu para o local e viu quando a adolescente, de 14 anos, que é prima da vítima, fechou as janelas da residência ao avistar a presença da polícia. Por isso quebraram o cadeado do portão e entraram. A menina foi encontrada deitada em um colchão.

Apenas a adolescente e a vítima estavam no local. Segundo a jovem, ela e o namorado planejaram sequestrar a menina e, em seguida, pedir um resgate entre R$ 10 mil e R$ 15 mil. A garota, que foi encaminhada à Vara da Infância e Juventude, confessou que retirou a criança da casa dela com o pretexto de levá-la para fazer compras.

Leia a transcrição de parte do diálogo:

Atendente: “Polícia Militar emergência...”
Menina: “oi, eu fui seqüestrada.”
Atendente: “passando trote para a polícia a essa hora da madrugada?”
Menina: “tia não é um trote. Eu fui seqüestrada.”

Menina: “o namorado dela [prima] ta abusando de mim."
Menina: "por favor moça, me ajuda, eu não agüento mais.”
Atendente: “ela está te maltratando?”
Menina: “ela está me deixando sem comer.”

    Leia tudo sobre: meninasequestroabuso sexual

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG