Polícia Militar vai ajudar a Guarda Universitária no patrulhamento do campus por, ao menos, 5 anos

selo

Pais do estudante Felipe Ramos de Paiva no dia do seu assassinato
AE
Pais do estudante Felipe Ramos de Paiva no dia do seu assassinato
Quase quatro meses depois do assassinato do estudante Felipe Ramos de Paiva , de 24 anos, a Universidade de São Paulo (USP), a Polícia Militar e a Secretaria da Segurança Pública assinam hoje um convênio para aumentar o policiamento no campus da Cidade Universitária, no Butantã, zona oeste da capital paulista. O convênio vai durar cinco anos, com possibilidade de renovação. Durante esse período, a PM vai ajudar a Guarda Universitária no patrulhamento do campus.

Em agosto, o Conselho Gestor da USP já havia aprovado o convênio para a segurança no campus. Mas a secretaria não forneceu detalhes de como funcionará o convênio. Sabe-se apenas que a ação dos policiais no campus da USP deverá seguir o modelo do policiamento comunitário.

O formato é discutido desde maio, quando o estudante foi assassinado durante uma tentativa de assalto no estacionamento da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEA). Dois acusados de matá-lo estão presos. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.