Acidentes com animais peçonhentos dobraram em SP em 10 anos

Ataques de escorpiões representaram quase metade dos casos no Estado entre 2000 e 2010

iG São Paulo |

O número de acidentes com animais peçonhentos dobrou na última década, segundo dados da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo. De acordo com a pasta, em 2010 foram registrados 14.601 acidentes cobras, aranhas, escorpiões e taturanas, enquanto no ano 2000 foram 6.873 ataques. O aumento é de 112,4%, em comparação entre os dois anos.

Os dados também identificam que quase metade de todos os acidentes (46,5 %) dos casos registrados no ano passado foi causada por ataques de escorpiões, com um total de 6.783 notificações. Outros 3.007 casos registrados foram referentes a ocorrências com aranhas, além de 1.752 registros de acidentes com serpentes e outras 1.644 notificações envolvendo abelhas.

Para Carlos Medeiros, diretor médico do hospital estadual Vital Brazil, ligado ao Instituto Butantan e que realiza atendimentos exclusivamente para acidentes envolvendo animais peçonhentos, as áreas de mata devem ter atenção redobrada. “Ao caminhar é importante estar com um calçado adequado, como botas, e evitar os períodos de amanhecer e entardecer do dia, quando as cobras procuram alimentos. Normalmente, esses animais procuram lugares secos para se protegerem.”

De acordo com a Secretaria de Saúde, diferentemente do que se costuma ouvir, em caso de ferimento, de forma alguma se deve amarrar o local atingido, já que essa ação pode produzir necrose e não evita absorção do veneno.

Em caso de acidentes com cobras, a primeira medida é lavar o local afetado com bastante água e sabão e procurar imediatamente o serviço de saúde mais próximo. Para ferroada de escorpião, a primeira medida a ser adotada é colocar compressas de água morna sobre a ferida para aliviar a dor. Em seguida, recomenda-se procurar a assistência médica mais próxima. Já em caso de picadas de aranhas e queimaduras de taturanas é importante não mexer no ferimento.

    Leia tudo sobre: venenoescorpiãotaturanaabelhasaúde

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG