Prefeitura de SP retira barracos da Cracolândia

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Administração diz que favelinha não será mais permitida; 100 pessoas foram cadastradas para programa De Braços Abertos

Praça Julio Prestes, na região central de São Paulo. Viciados e traficantes montaram barracas no local
Fernando Pereira /Secom (29.04.15)
Praça Julio Prestes, na região central de São Paulo. Viciados e traficantes montaram barracas no local

A Prefeitura de São Paulo retirou na manhã desta quarta-feira (29) barracos erguidos por dependentes químicos e traficantes na praça Julio Prestes, na Luz, região central de São Paulo. Cerca de 500 pessoas estavam no local conhecido como fluxo ou favelinha da Cracolândia. 

TViG: Escolas estaduais em SP viram 'cracolândia' com consumo e tráfico de drogas

Segundo a prefeitura, traficantes usavam as lonas para escapar do monitoramento por imagem da região. Não é a primeira vez que a prefeitura retira os barracos do local. O início da operação de Braços Abertos, que prevê hospedagem em hoteis da região e emprego para usuários, no começo do ano passado, foi marcado pela limpeza do local e retirada da favelinha

Veja a Cracolândia sob a ótica do fotógrafo italiano Alessio Ortu

Usuárias Danielle e Sabrina, ambas com 19 anos. Algumas meninas usam a prostituição para conseguir o crack. Foto: Alessio Ortu/Simulacrum PraecipitiiJúnior, de 24 anos, autorizou ser fotografado fumando crack no centro de São Paulo. Foto: Alessio Ortu/Simulacrum PraecipitiiMãos do usuário Daniel, de 24 anos, em posição "espiritual", segundo Ortu. Foto: Alessio Ortu/Simulacrum PraecipitiiJá as mãos Pedro Enrique, de 18 anos, revelariam agressividade do jovem. Foto: Alessio Ortu/Simulacrum PraecipitiiThiago Rodriguez, de 26 anos, foi flagrado por Ortu na Cracolândia, no centro de São Paulo. Foto: Alessio Ortu/Simulacrum PraecipitiiValéria, de 32 anos, deixou ser fotografada pelo profissional italiano. Foto: Alessio Ortu/Simulacrum PraecipitiiRegistro do jovem Gabriel, de 17 anos. O fotógrafo se espantou com a presença de menores na Cracolândia. Foto: Alessio Ortu/Simulacrum PraecipitiiUsuários Jay e Kelly. Ortu passou ao menos um ano registrando os moradores da região. Foto: Alessio Ortu/Simulacrum PraecipitiiGiuliano, de 16 anos, cobre o rosto durante registro de Alessio Ortu. "Sempre após um pedido de autorização humano", diz. Foto: Alessio Ortu/Simulacrum PraecipitiiJerson, de 34 anos, limpa o rosto de Jonatas, de 25. Fotógrafo presenciou cenas de amizade entre os usuários. Foto: Alessio Ortu/Simulacrum PraecipitiiUsuários Júnior, de 24, e Rangel, de 27. Fotos foram expostas no Palácio da Justiça. Foto: Alessio Ortu/Simulacrum PraecipitiiCena do documentário Simulacrum Praecipitii com o trabalho de Alessio Ortu (na foto). Foto: Reprodução

Desta vez, diz a prefeitura, os usuários foram informados de que os barracos na rua não seriam mais tolerados. Cerca de 100 pessoas foram cadastradas e encaminhadas para vagas em hotéis na região, com inserção no programa Braços Abertos.

A prefeitura estima que cerca de 200 pessoas dispersaram com o início da operação na manhã de hoje. O restante se instalou na rua Dino Bueno.

Segundo a administração municipal, obras de revitalização, como ampliação, colocação de bancos e floreiras, foram realizadas nas calçadas das ruas Helvétia e Cleveland, além da praça Julio Prestes. 

Leia tudo sobre: IGSPcracolândiafavelinhaDe Braços Abertos

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas