Deputado pede medalha a carcereiro agredido por travesti em delegacia de SP

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Fotos de Verônica Bolina com rosto desfigurado e seios a mostra circularam nas redes sociais e causaram indignação

Deputado Major Olímpio (PDT-SP)
Tércio Teixeira/Futura Press (arquivo)
Deputado Major Olímpio (PDT-SP)

O deputado federal Major Olímpio (PDT-SP) usou a tribuna da Câmara, nesta segunta-feira (27) para dizer que o carcereiro que teve parte da orelha arrancada a mordida pela travesti Verônica Bolina deveria ganhar uma medalha.

O caso ganhou destaque na semana retrasada, quando fotos da travesti com rosto desfigurado e seios à mostra começaram a circular na internet. Ela estava presa no 2º Distrito Policial de São Paulo, no Bom Retiro. Entidades de defesa dos Direitos Humanos alegaram que ela teria sido agredida por policiais após se envolver em uma briga com carcereiro. O caso está sendo investigado pela Corregedoria da Policia Civil e pelo Ministério Público estadual. 

Verônica foi presa em flagrante após agredir uma vizinha de 73 anos no prédio em que morava, na Bela Vista, região central de São Paulo. Ela foi indiciada por tentativa de homicídio e resistência. 

Leia também: Comissão da Câmara quer explicação sobre caso de travesti agredida em SP

Verônica Bolina: travesti presa em DP foi agredida "várias vezes" por policiais

Travesti gravou áudio por diminuição de pena, diz MP

O deputado, integrante da chamada Bancada da Bala, composta por parlamentares ligados às forças policiais e a indústria das armas, criticou ainda os colegas que cogitaram chamar os policiais do distrito para depor em uma comissão que investiga o sistema prisional.

Veja o discurso do Major Olímpio na íntegra:

“Trazer o delegado geral, trazer o titular do distrito, trazer o policiais que estavam de plantão, isso para mim é para achincalhar”, disse Olimpio.

Ele então usa uma cópia do inquérito para dizer que Verônica confessou ter agredido uma idosa de 73 anos (motivo que a levou a prisão) porque estava  “possuída pelo demônio”. “Ela declara que estava possuída. Ai nós vamos tentar trazer em uma comissão, uma CPI, para escrachar a polícia de São Paulo. Peço apoio dos pares, os que estiverem nas comissões, ou os que não tiverem: não vamos permitir escracho. Valternei [o carcereiro] tinha que receber uma medalha. Os outros policiais só a contiveram”, diz Olímpio.

Antes e depois: vaidosa e fã de malhação, Verônica Bolina ficou deformada depois de apanhar em distrito policial no centro de São Paulo. Foto: Reprodução/redes sociaisEm áudio, Verônica Bolina, de 25 anos, diz que não foi torturada. Foto: Facebook/ReproduçãoVerônica aparece com rosto machucado e seios a mostra. Foto: Facebook/ReproduçãoImagem divulgada nas redes sociais mostra Verônica com pés e mãos algemadas sob na carceragem do 2º DP. Foto: Reprodução/FacebookVerônica foi acusada de tentar matar uma idosa de 73 anos. Foto: Facebook/ReproduçãoInternautas fazem desenhos em homenagem a Verônica Bolina. Foto: Facebook/ReproduçãoInternautas fazem desenhos em homenagem a Verônica Bolina. Foto: Facebook/ReproduçãoInternautas fazem desenhos em homenagem a Verônica Bolina. Foto: Facebook/ReproduçãoInternautas fazem desenhos em homenagem a Verônica Bolina. Foto: Facebook/ReproduçãoInternautas fazem desenhos em homenagem a Verônica Bolina. Foto: Facebook/ReproduçãoInternautas fazem desenhos em homenagem a Verônica Bolina. Foto: Facebook/Reprodução

Indignado, o major também pediu que seja aprovada a lei da redução da maioridade penal. “Nós vamos reduzir sim a maioridade penal. Na minha visão, no meu projeto, é em 12 anos mesmo”. Um projeto que prevê que jovens com mais de 16 anos sejam julgados como adultos foi aprovado na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara e segue em tramitação. Segundo pesquisa Datafolha, 87% da população são favoráveis à mudança na legislação.

Leia tudo sobre: igspmajor olimpiotravesti verônicaVerônica Bolina

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas