Nível do Cantareira se mantém estável

Por Agência Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

Somente Cantareira e Alto Tietê permaneceram estáveis; demais sistemas que abastecem São Paulo registraram queda

Agência Brasil

O nível do Sistema Cantareira se manteve estável nesta terça-feira (21), com o volume armazenado, que na segunda-feira (20) subiu 0,1%, seguindo em 15,5% da capacidade total de todos os seus reservatórios.

Descontado o volume morto, o Cantareira está 9,3% abaixo do nível mínimo de captação das bombas utilizado antes da crise de abastecimento no estado. Os dados são da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp).

Crise hídrica: veja fotos do Sistema Cantareira e de outros reservatórios:

Vaca caminha pela Represa Jacareí, no dia 29 de janeiro: normalmente ali teria água. Foto: Futura PressSituação calamitosa da Represa Jacareí, parte do Sistema Cantareira, no dia 29 de janeiro. Foto: Futura PressCarro no meio na Atibainha devido ao baixo nível da represa: cenário desolador. Foto: Futura PressPedalinhos inutilizados na Represa Atibainha, parte do Cantareira, em janeiro. Foto: Futura PressRepresa Atibainha, em janeiro de 2015. Foto: Futura PressLixo surge na Represa de Atibainha, em janeiro. Foto: Futura PressEm protesto contra a falta de água, governador Geraldo Alckmin é ironizado por manifestantes (26/01/2015). Foto: AP PhotoEm São Paulo, moradores organizaram uma passeata contra a falta de água. Foto: AP PhotoMoradores protestam contra a falta de água em São Paulo (26/01/2015). Foto: AP PhotoProtesto 'Banho Coletivo na casa do Alckmin', na manhã desta segunda-feira (23), em frente ao Palácio dos Bandeirantes. Foto: Futura PressFalta de água em São Paulo se agrava e motiva protestos . Foto: AP PhotoRepresa do Jaguari, na cidade de Vargem, em setembro; veja mais imagens da situação dos reservatórios do Sistema Cantareira. Foto: Luiz Augusto Daidone/Prefeitura de VargemRepresa do Jaguari, na cidade de Vargem, em foto de setembro. Foto: Luiz Augusto Daidone/Prefeitura de VargemRepresa do Jaguari, na cidade de Vargem, em foto de setembro. Foto: Luiz Augusto Daidone/Prefeitura de VargemObras do Sistema Cantareira no segundo volume morto. Foto: Futura PressObras do Sistema Cantareira no segundo volume morto. Foto: Futura PressObras do Sistema Cantareira no segundo volume morto. Foto: Futura PressObras do Sistema Cantareira no segundo volume morto. Foto: Futura Press Seca no reservatório do Rio Jacareí, em Joanópolis, São Paulo. Foto: Futura Press Seca no reservatório do Rio Jacareí, em Joanópolis, São Paulo. Foto: Futura Press Seca no reservatório do Rio Jacareí, em Joanópolis, São Paulo. Foto: Futura Press Seca no reservatório do Rio Jacareí, em Joanópolis, São Paulo. Foto: Futura Press Seca no reservatório do Rio Jacareí, em Joanópolis, São Paulo. Foto: Futura Press Seca no reservatório do Rio Jacareí, em Joanópolis, São Paulo. Foto: Futura Press Seca no reservatório do Rio Jacareí, em Joanópolis, São Paulo. Foto: Futura PressSistema Cantareira tem o menor nível em duas décadas. Foto: Patricia StavisSistema Cantareira tem o menor nível em duas décadas. Foto: Patricia StavisSistema Cantareira tem o menor nível em duas décadas. Foto: Patricia StavisSistema Cantareira tem o menor nível em duas décadas. Foto: Patricia StavisSistema Cantareira tem o menor nível em duas décadas. Foto: Patricia StavisSistema Cantareira tem o menor nível em duas décadas. Foto: Patricia StavisSistema Cantareira tem o menor nível em duas décadas. Foto: Patricia StavisSistema Cantareira tem o menor nível em duas décadas. Foto: Patricia StavisSistema Cantareira tem o menor nível em duas décadas. Foto: Patricia StavisSistema Cantareira tem o menor nível em duas décadas. Foto: Patricia Stavis

Apesar disso, com exceção do Cantareira e do Alto Cotia – este estável em 65,2% – o nível dos demais mananciais que abastecem a Região Metropolitana de São Paulo (RMSP) caíram de nas últimas 24 horas. O Sistema Alto Tietê passou de 22,3% para 22,2%. O Guarapiranga ficou em 82,6% (queda de 0,3%). Os sistemas Rio Grande (96%), Alto Tietê e Rio Claro (45%) registraram queda de -0,1%.

Em razão da crise de abastecimento, a Sabesp passou a reduzir gradativamente as áreas atendidas pelo Cantareira. O sistema, que atendia acerca de 9 milhões de pessoas, passou a fornecer água para 5,4 milhões.

A medida mais recente do governo paulista foi incluir pela primeira vez o Sistema Rio Grande no abastecimento da capital. Segundo anúncio, feito na semana passada, o manancial passou a atender bairros da zona sul da capital, antes abastecidos pela Represa do Guarapiranga, que agora fornece água a 250 mil pessoas da região do Cantareira.

Leia tudo sobre: crise da águacantareirafalta de águaigsp

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas