Haddad anuncia apoio do Exército para combate à dengue em SP

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

50 militares estarão à disposição dos agentes para auxiliá-los a entrar em residências de bairros violentos da capital paulista

O prefeito de São Paulo anunciou, nesta quinta-feira (16), que o Exército brasileiro ajudará a administração municipal no combate à dengue em São Paulo. As ações serão realizadas em até dez dias, período em que os casos da doença costumam atingir seu pico na região.

Fernando Haddad conversa com pacientes da doença na manhã desta quinta-feira (16)
Fabio Arantes/Secom/Prefeitura de São Paulo
Fernando Haddad conversa com pacientes da doença na manhã desta quinta-feira (16)

O anúncio foi feito durante visita de Haddad à Unidade Básica de Saúde Elisio Teixeira Leite, na zona norte da capital, onde estão abrigadas seis tendas da Secretaria Municipal de Saúde cujo objetivo é auxiliar no combate à doença nas regiões mais afetadas da cidade.

Leia mais:
Casos de dengue crescem 240% no Brasil em 2015; mortes aumentam 29%

"O Exército colocou 50 soldados à disposição para combater os focos [de criadouros da doença]. E queremos usar esses profissionais mais qualitativamente", disse o prefeito durante o anúncio. Ele explicou que a medida visa a ajudar agentes de saúde a convencer moradores de bairros violentos a deixá-los entrar em suas residências para inspeções. A atuação dos soldados se limitará às localidades de maior resistência dos residentes.

"Não se trata de um problema quantitativo, mas qualitativo. Se a equipe está acompanhada de um soldado, a pessoa se sentirá mais segura para abrir a porta."

2.500 agentes na rua
Segundo a Prefeitura paulistana, os militares serão treinados pela Coordenação de Vigilância em Saúde (Covisa) para se somarem aos 2.500 agentes de zoonoses que já realizam as inspeções na cidade.

"Nós permanecemos com uma pendência de 20% das visitas", explicou o secretário-adjunto de Saúde, Paulo Puccini. "Isso se dá ou porque a pessoa não está em casa ou porque se recusa a abrir as portas. A presença de 50 soldados pode parecer pouca, mas a qualidade e a credibilidade que esta iniciativa dá à equipe é muito grande. Isso a qualifica."

Leia também:
Prefeitura confirma mais duas mortes por dengue em São Paulo
Prefeitura de SP instala tendas para atender pacientes com dengue
Casos de dengue crescem 139% em SP; ministro diz que números devem aumentar

Ao menos quatro pessoas morreram na capital paulista em decorrência da dengue entre os dias 4 de janeiro e 28 de março, segundo balanço da Secretaria Municipal de Saúde, divulgado na semana passada. No total, foram 31.980 casos notificados, sendo 8.063 contraídos no município.

Aproximadamente 38% dos casos se concentram na zona norte de São Paulo.

Leia tudo sobre: dengueigspexércitofernando haddad

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas