Justiça arquiva processo contra policial que matou camelô da Lapa, em SP

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Soldado Henrique Dias Bueno de Araújo comemorou a decisão: "Me sinto aliviado, tranquilo por saber do arquivamento"

O processo contra o soldado da Policial Militar Henrique Dias Bueno de Araújo foi arquivado pela Justiça de São Paulo. Araújo matou o camelô Carlos Augusto Braga com um tiro na cabeça durante operação contra vendas de produtos piratas na região da Lapa, na zona oeste de São Paulo. A decisão foi tomada no último dia 27 por Eliana Cassales Tosi de Mello, juíza de direito da 5ª Vara do Júri. 

Relembre: Vendedor morre e PM é baleado em confronto entre camelôs e policiais em SP

Justiça liberta PM que matou camelô em SP

O policial matou o camelô Carlos Augusto Muniz em 18 de setembro do ano passado, na Lapa, durante operação da PM para combater a venda de produtos ilegais. Carlos Augusto tentou tirar o spray de pimenta que o soldado segurava em uma das mãos no momento em que prendia outro camelô com mais dois PMs. O soldado PM reagiu e o ambulante foi atingido por um tiro. 

Veja vídeo do momento do tiro:

Em nota publicada no site  da APMDFESP (Associação dos Policiais Militares do Estado de São Paulo), responsável pela defesa do policial, Araújo comemorou a decisão da Justiça. 

"Me sinto aliviado, tranquilo por saber do arquivamento. A gente sai para trabalhar, mas nunca pensa que vai precisar de um advogado no fim do dia como aconteceu comigo"

Fernando Capano, advogado da associação, se disse supreso com a decisão judicial.  "Do meu ponto de vista, achei que ele poderia até ser denunciado. Mas o promotor entendeu que não era o caso, assim como a magistrada. Nos preparamos para o pior, mas graças a Deus, o melhor aconteceu”. 

Leia tudo sobre: IGSPCamelô morto na LapaPMpolicial

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas