Em greve há um mês, professores protestam em visita de Alckmin à obras do Metrô

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Professores da rede estadual reivindicaram que o governador Geraldo Alckmin reabrisse as negociações com a categoria

Um grupo de professores da rede estadual, em greve há um mês, fez um protesto nesta segunda-feira (13) em frente ao canteiro de obras da linha 6-Laranja do Metrô, na Freguesia do Ó. Durante a visita de Geraldo Alckimin ao local, eles reivindicaram que o governador reabrisse as negociações com a categoria. Os professores entregaram a pauta de reivindicações a Alckmin, que prometeu ler os itens.

“Nos últimos quatro anos tivemos 45% de reajuste para uma inflação de 24% e vamos manter esses ganhos reais. O último aumento foi em agosto e não completou nem um ano. A greve é mais dos temporários e temos boas notícias para eles. Contratamos 7 mil professores efetivos que vão tomar posse até o meio do ano. Abrimos concurso para outros 38 mil professores efetivos”.

Em frente às obras da linha 6-Laranja do Metrô, Geraldo Alckmin foi vaiado por professores
Divulgação/PSDB
Em frente às obras da linha 6-Laranja do Metrô, Geraldo Alckmin foi vaiado por professores

Nesta segunda, o governador iniciou as obras de escavação do poço de ventilação da Linha 6-Laranja do Metrô, que ligará a região nordeste da cidade ao centro (Brasilândia-São Joaquim). A escavação começa na Avenida Otaviano Alves de Lima, na Freguesia do Ó, zona norte da capital. As obras serão executadas pela Concessionária Move São Paulo, responsável pela construção, operação e manutenção da linha. O valor do contrato para a construção dessa etapa é R$ 9,6 bilhões.

A construção da Linha 6-Laranja do Metrô será feita nos moldes de Parceria Público-Privada (PPP) e a previsão de entrega é em 2020. Serão 15,3 quilômetros subterrâneos, com 15 estações e quatro pontos de conexão com a rede de metrô e trem. Dois dos conhecidos tatuzões – escavadeira feita para construir parte do túnel por onde passarão os trens do metrô – partirão em direções diferentes a partir da escavação da Freguesia do Ó. Serão 32 frentes de trabalho, divididas em 15 estações, 17 postos de ventilação e um pátio de trens.

De acordo com o governador, metade dos investimentos ficará por conta do governo estadual. “Já pagamos R$ 500 milhões em desapropriações. Já estamos com 705 desapropriações concluídas. A obra tem início hoje e tem que estar operando em 2020 e não pode ser entregue em partes. A capacidade será de transportar 650 mil passageiros por dia. Será uma linha integradora, com duas linhas de metrô e duas de trem”.

Leia também:

Após estupro no Metrô, sindicato aponta falta de segurança no sistema

Dupla improvisa assento para leitores no metrô de São Paulo

Perguntado sobre o estado passar por uma epidemia de dengue, Alckmin evitou usar o termo ao falar do problema. “Quero destacar que não há vacina nem tratamento. Só há um caminho que é combater o mosquito, que é o agente transmissor. Oitenta por cento dos casos de proliferação se dá dentro das casas e aí precisamos da colaboração da população. O conceito de epidemia cabe à Sucen [Superintendência de Controle de Endemias] avaliar”, disse.

*Com Agência Brasil

Veja fotos do ato que professores fizeram em frente ao Palácio dos Bandeirantes na última sexta-feira (10):

Aos gritos de "o professor chegou", categoria toma frente do Palácio dos Bandeiranets. Foto: Milena Carvalho/iG São Paulo (10.04.15)Em greve, professores da rede estadual fazem ato em frente ao Palácio dos Bandeirantes. Foto: Milena Carvalho/iG São Paulo (10.04.15)PM diz que 5 mil manifestantes acompanham o ato; sindicato diz que são 40 mil. Foto: Milena Carvalho/iG São Paulo (10.04.15)Deputado Ivan Valente (Psol) participa da assembleia dos professores. Foto: Milena Carvalho/iG São Paulo (10.04.15)Ademilson Teles Almeida, 53, professor de Taboao da Serra. Foto: Milena Carvalho/iG São Paulo (10.04.15)Em greve, professores da rede estadual fazem ato em frente ao Palácio dos Bandeirantes. Foto: Milena Carvalho/iG São Paulo (10.04.15)Em greve, professores da rede estadual fazem ato em frente ao Palácio dos Bandeirantes. Foto: Milena Carvalho/iG São Paulo (10.04.15)Em greve, professores da rede estadual fazem ato em frente ao Palácio dos Bandeirantes. Foto: Milena Carvalho/iG São Paulo (10.04.15)Em greve, professores da rede estadual fazem ato em frente ao Palácio dos Bandeirantes. Foto: Milena Carvalho/iG São Paulo (10.04.15)Em greve, professores da rede estadual fazem ato em frente ao Palácio dos Bandeirantes. Foto: Milena Carvalho/iG São Paulo (10.04.15)Em greve, professores da rede estadual fazem ato em frente ao Palácio dos Bandeirantes. Foto: Milena Carvalho/iG São Paulo (10.04.15)Em greve, professores da rede estadual fazem ato em frente ao Palácio dos Bandeirantes. Foto: Milena Carvalho/iG São Paulo (10.04.15)Em greve, professores da rede estadual fazem ato em frente ao Palácio dos Bandeirantes. Foto: Milena Carvalho/iG São Paulo (10.04.15)Em greve, professores da rede estadual fazem ato em frente ao Palácio dos Bandeirantes. Foto: Milena Carvalho/iG São Paulo (10.04.15)



Leia tudo sobre: geraldo alckminmetrôlinha 6-laranjaIGSPprofessoresgreve

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas