Jovem de 18 anos foi atacada quando deixava a cabine de recarga de Bilhete Único onde trabalhava; suspeito confessou

Guilherme Lucas Alves dos Santos Rodrigues, suspeito de ter estuprado uma funcionária dentro de uma cabine na República
Polícia Civil/Divulgação
Guilherme Lucas Alves dos Santos Rodrigues, suspeito de ter estuprado uma funcionária dentro de uma cabine na República

O garçom Guilherme Lucas Alves dos Santos Rodrigues, suspeito de ter estuprado uma funcionária dentro de uma cabine de recarga do bilhete único, é ex-funcionário da empresa que presta o serviço.

De acordo com a polícia, o jovem de 20 anos foi demitido da Prodata Mobility em julho do ano passado após ter exercido a função de atendente por três meses. A polícia acredita que as informações que ele tinha serviram de base para tentativa de assalto ao cofre que ficava na cabine, intenção inicial dos criminosos.

O crime aconteceu na última quinta-feira (2), por volta das 23h30. Quando a funcionária saía da cabine, na estação República, foi rendida por Rodrigues, que a amarrou e a estuprou. Ele foi preso na madrugada desta terça-feira (7) na Cohab Juscelino, na zona leste de São Paulo.

Leia mais:

Polícia prende suspeito de estuprar funcionária na estação República do Metrô
Após estupro no Metrô, sindicato aponta falta de segurança no sistema

De acordo com a polícia, Rodrigues confessou a intenção de roubar o cofre da cabine, mas nega o estupro. "Estuprador sempre tenta jogar para a vitima, dizer que foi consensual para tentar uma pena menor", disse Osvaldo Nico Gonçalves, delegado titular da Delegacia do Metropolitano (Delpom). O criminoso foi reconhecido pela vitima, que voltou a confirmar o estupro, de acordo com o delegado. "Ela foi firme no reconhecimento". 

"Ele tinha conhecimento porque já trabalhou na empresa. Tem uns códigos que são anotados na planilha conforme se faz a validação do bilhete. Quando ele viu a prancheta, falou que tinha mais de R$ 30 mil. Ele sabia o que estava fazendo", disse Nico Gonçalves.

Identificação
Imagens do circuito interno do Metrô ajudaram na identificação e prisão de Rodrigues, que nao tem passagem pela polícia. "Nós saimos de uma imagem que tínhamos do saguão até a identificação dos dois autores", disse Nico Gonçalves. Nas imagens, é possivel ver Rodrigues caminhando ao lado de um homem identificado como Rafael Gonçalves de Lima, de 24 anos, que está foragido.

Os dois homens carregam um carrinho, que, segundo a polícia, seria usado para transportar o cofre da cabine. De acordo com o delegado, eles esperaram cerca de 15 minutos até que a vitima abrisse a porta do quiosque e fosse rendida por Rodrigues.

Cabine de bilhete único do metrô República onde funcionária, de 18 anos, foi estuprada
Ana Flavia Oliveira/iG
Cabine de bilhete único do metrô República onde funcionária, de 18 anos, foi estuprada

Vitima estava cobrindo folga
De acordo com informações da polícia, a funcionária de 18 anos que foi estuprada por Rodrigues está há tres meses na empresa e desempenha a função de folguista, cobrindo as folgas de outras atendentes.

Era a primeira vez que ela trabalhava na estação República. A responsável pela cabine estava de folga no dia do crime e prestou depoimento nesta terça. A participação dela no crime foi descartada.

A polícia ainda procura por duas pessoas que seriam as responsáveis pelo transporte do cofre. Elas aguardavam os criminosos em dois carros do lado de fora da estação.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.