Líder religioso promete protestos e um abaixo-assinado com mais de 2 mil nomes para frear projeto de ciclofaixa na mesma rua da Catedral Anglicana de São Paulo

A inclusão da rua Comendador Elias Zarzur, no bairro Alto da Boa Vista, no projeto de expansão da ciclofaixa na cidade de São Paulo sensibilizou os fiéis da Catedral Anglicana, na mesma rua. O reverendo Aldo Quintão promete protestos e abaixo-assinado com mais de dois mil nomes, mas a prefeitura fincou o pé: o projeto permanece inalterado. Ao que tudo indica, a fé não moverá a ciclofaixa.

Entenda:  Reverendo faz abaixo-assinado e promete protestos contra ciclofaixa 

Questionado pela reportagem do iG , o secretário de comunicação da Prefeitura, Nunzio Briguglio Filho, afirmou que o projeto da ciclofaixa passando em frente a Catedral Anglicana permanece inalterado.

O reverendo argumenta que as ciclofaixas são desnecessárias na região de poucos ciclistas e elas causariam transtornos para os fiéis que teriam de parar os carros s 800 metros da igreja. Na catedral, segundo o reverendo, há quatro vagas para estacionar bicicleta, mas elas nunca são usadas por falta de ciclistas.

"Faremos tudo para evitar a ciclofaixa. Será uma mobilização do bem. Vou procurar a família do secretário de Transportes [Jilmar Tatoo], levarei cantores para uma apresentação no hall da Câmara Municipal. Se precisar, convoco motoristas para que estacionem seus carros na rua e evitem que as máquinas da prefeitura trabalhem. Vamos resistir!", avisa o reverendo.

Leia mais: 
90% dos paulistanos são favoráveis a faixas de ônibus e 88% pedem mais ciclovias
Expansão de ciclovias impulsiona negócios envolvendo bicicletas em São Paulo

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.