Cantareira fica estável e chuvas elevam nível do Guarapiranga

Por Agência Brasil | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Sistema permanece estável pelo quinto dia consecutivo; previsão é de chuva em São Paulo no fim de semana

Agência Brasil

O nível do Sistema Cantareira continua em 5,1%, mesmo percentual registrado nos últimos cinco dias. Dados da Companhia Estadual de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), mostram que de quinta e sexta (30) não choveu no manancial. A pluviometria – quantidade de chuvas que cai numa região – acumulada no mês chega a 147,8 milímetros (mm). A média histórica para o período é 271,1mm.

Entenda: Cinco razões (que não a falta de chuva) para explicar a crise hídrica em SP

No Alto Tietê, o nível permaneceu estável ao passar de 10,7% para 10,6%, segundo a Sabesp. Não foi registrada chuva de ontem para hoje. Em todo o mês de janeiro o índice pluviométrico chegou a 101,7 mm. A média histórica para o mês de janeiro, no sistema, é 251,5 mm. No Guarapiranga, o nível subiu de 47,8% para 48,24%, apesar de não ter chovido na área que abastece o reservatório. O total de chuvas no mês de janeiro é 247,2 mm e a média histórica para o mês é 229,3mm.

Leia mais:
Prefeito de São Paulo anuncia projeto para punir uso abusivo de água
Site da Sabesp informa horários e locais de redução da água na rede

No Sistema Rio Grande, o nível caiu e passou de 74,4% para 74,1%, sem chuvas no local de ontem para hoje. No mês, o total de chuvas foi 229,4 mm e a média para janeiro é 251,5. Os dados indicam que no Sistema Rio Claro, o nível passou de 26% para 25,6%, sem chuvas. No mês de janeiro choveu 160,3 mm e a média histórica é 298,9 mm. No Sistema Alto Cotia os números ficaram estáveis com nível em 28,5% da capacidade, 2,8 mm de chuva e 80 mm no mês. A média histórica é de 232 mm.

De acordo com o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE), o clima começou hoje com muitas nuvens e termômetros em torno dos 21º Celsius (ºC), na capital paulista. Mesmo afastada e ainda sobre o oceano, a propagação de uma frente fria facilita o aumento da quantidade de nuvens na região metropolitana de São Paulo. Isso cria áreas de instabilidade que se formam sobre o continente e são esperadas pancadas de chuva que podem ocorrer já nas primeiras horas da tarde.

Há potencial para rajadas de ventos, descargas elétricas e formação de alagamentos. As precipitações podem se estender para o período da noite. Por causa da nebulosidade e da mudança na direção dos ventos, a máxima não deve passar dos 26ºC.

Vaca caminha pela Represa Jacareí, no dia 29 de janeiro: normalmente ali teria água. Foto: Futura PressSituação calamitosa da Represa Jacareí, parte do Sistema Cantareira, no dia 29 de janeiro. Foto: Futura PressCarro no meio na Atibainha devido ao baixo nível da represa: cenário desolador. Foto: Futura PressPedalinhos inutilizados na Represa Atibainha, parte do Cantareira, em janeiro. Foto: Futura PressRepresa Atibainha, em janeiro de 2015. Foto: Futura PressLixo surge na Represa de Atibainha, em janeiro. Foto: Futura PressEm protesto contra a falta de água, governador Geraldo Alckmin é ironizado por manifestantes (26/01/2015). Foto: AP PhotoEm São Paulo, moradores organizaram uma passeata contra a falta de água. Foto: AP PhotoMoradores protestam contra a falta de água em São Paulo (26/01/2015). Foto: AP PhotoProtesto 'Banho Coletivo na casa do Alckmin', na manhã desta segunda-feira (23), em frente ao Palácio dos Bandeirantes. Foto: Futura PressFalta de água em São Paulo se agrava e motiva protestos . Foto: AP PhotoRepresa do Jaguari, na cidade de Vargem, em setembro; veja mais imagens da situação dos reservatórios do Sistema Cantareira. Foto: Luiz Augusto Daidone/Prefeitura de VargemRepresa do Jaguari, na cidade de Vargem, em foto de setembro. Foto: Luiz Augusto Daidone/Prefeitura de VargemRepresa do Jaguari, na cidade de Vargem, em foto de setembro. Foto: Luiz Augusto Daidone/Prefeitura de VargemObras do Sistema Cantareira no segundo volume morto. Foto: Futura PressObras do Sistema Cantareira no segundo volume morto. Foto: Futura PressObras do Sistema Cantareira no segundo volume morto. Foto: Futura PressObras do Sistema Cantareira no segundo volume morto. Foto: Futura Press Seca no reservatório do Rio Jacareí, em Joanópolis, São Paulo. Foto: Futura Press Seca no reservatório do Rio Jacareí, em Joanópolis, São Paulo. Foto: Futura Press Seca no reservatório do Rio Jacareí, em Joanópolis, São Paulo. Foto: Futura Press Seca no reservatório do Rio Jacareí, em Joanópolis, São Paulo. Foto: Futura Press Seca no reservatório do Rio Jacareí, em Joanópolis, São Paulo. Foto: Futura Press Seca no reservatório do Rio Jacareí, em Joanópolis, São Paulo. Foto: Futura Press Seca no reservatório do Rio Jacareí, em Joanópolis, São Paulo. Foto: Futura PressSistema Cantareira tem o menor nível em duas décadas. Foto: Patricia StavisSistema Cantareira tem o menor nível em duas décadas. Foto: Patricia StavisSistema Cantareira tem o menor nível em duas décadas. Foto: Patricia StavisSistema Cantareira tem o menor nível em duas décadas. Foto: Patricia StavisSistema Cantareira tem o menor nível em duas décadas. Foto: Patricia StavisSistema Cantareira tem o menor nível em duas décadas. Foto: Patricia StavisSistema Cantareira tem o menor nível em duas décadas. Foto: Patricia StavisSistema Cantareira tem o menor nível em duas décadas. Foto: Patricia StavisSistema Cantareira tem o menor nível em duas décadas. Foto: Patricia StavisSistema Cantareira tem o menor nível em duas décadas. Foto: Patricia Stavis

No sábado (31), o tempo permanece instável em toda a faixa leste paulista. O céu fica nublado e as chuvas devem ser de intensidade moderada, principalmente entre a madrugada e o início da manhã de domingo (1º). A continuidade das chuvas mantém elevado o potencial para formação de alagamentos e deslizamentos nas áreas de risco.

Os termômetros oscilam entre 18ºC e 24ºC. No domingo, a instabilidade climática no estado permanecerá. O sol deve aparecer entre nuvens na parte da manhã e no decorrer da tarde poderão ocorrer chuvas em forma de pancadas isoladas e com até forte intensidade. A temperatura mínima deve ser de 18ºC e a máxima de 27ºC.

Leia tudo sobre: cantareiracrise hídricafalta de águaáguaigspsão paulo

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas