Manifestantes fazem ato contra crise hídrica na sede do governo paulista

Por Agência Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

Coordenadora do ProTeste defende que o racionamento de água na cidade seja decretado oficialmente pelo governador

Agência Brasil

Um grupo de aproximadamente 15 pessoas fez um protesto na manhã de hoje (26) em frente ao Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista. A manifestação foi organizada pela Associação Brasileira de Defesa do Consumidor (ProTeste) e chegou a bloquear parte da Avenida Morumbi.

Maria Inês Dolci, coordenadora Institucional do ProTeste, defende que o racionamento de água na cidade seja decretado oficialmente pelo governador de São Paulo, Geraldo Alckmim. “Queremos transparência neste processo, que o racionamento seja decretado de forma oficial, porque só assim pode se cobrar a sobretaxa. Estão cobrando uma tarifa adicional, sem instituir oficialmente o racionamento”, declarou.

De acordo com a advogada da ProTeste, Tatiana Viola de Queiroz, a cobrança da multa pelo desperdício de água é ilegal. “A  Associação  entrou com ação na Justiça para que o racionamento fosse oficialmente decretado. A tarifa de contingência só pode ser cobrada após a decretação oficial do racionamento, a partir do momento que isso é publicado no Diário Oficial, aí sim, pode cobrar essa multa”, disse. “A situação é muito grave e esta falta de atitude do governo é o que tem mais irritado a população”, acrescentou.

Protesto 'Banho Coletivo na casa do Alckmin', na manhã desta segunda-feira (23), em frente ao Palácio dos Bandeirantes
Futura Press
Protesto 'Banho Coletivo na casa do Alckmin', na manhã desta segunda-feira (23), em frente ao Palácio dos Bandeirantes


Leia tudo sobre: crise hídricacantareirasistema cantareira

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas