Ativistas foram presos por desacato e por portarem artefatos perigosos, como pedras e garrafas

Segundo informações da Secretaria de Segurança Pùblica do Estado de São Paulo, os 13 manifestantes que foram detidos no protesto do Movimento Passe Livre na última sexta-feira (16) já foram liberados.

De acordo com a SSP, durante a manifestação, três agências bancárias e uma banca de jornal foram depredadas, além de uma viatura da PM, que foi danificada pelo arremesso de pedras.

Das 13 pessoas que foram detidas, oito foram levadas ao 78º Distrito Policial (Jardins) por desacato, e cinco ao 2º DP (Bom Retiro) por portarem objetos como pedras e garrafas. 

Leia mais: Bombas, ferimentos e detenções marcam protesto do MPL pela tarifa zero

Ato não conseguiu chegar ao fim do trajeto

O segundo ato contra o aumento da tarifa, que seguia pacífica da Praça do Ciclista, na Avenida Paulista, até a Prefeitura de São Paulo, região central da cidade, acabou em confronto entre manifestantes e policiais. A ideia da organização era seguir até a Secretaria de Transportes.

A Polícia Militar disparou bombas de efeito moral e balas de borracha após, segundo a corporação, ter sido atingida por garrafas jogadas por manifestantes.

Leia mais: Reação policial não foi desproporcional, diz PM

O Movimento Passe Livre estima que mais de 20 mil pessoas foram às ruas na sexta-feira. Segundo a Polícia Militar, 900 policiais fizeram parte da operação de acompanhamento aproximado dos manifestantes.

MAIS: Veja imagens do protesto do dia 16 de janeiro de 2015


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.