Cem mil clientes permanecem sem energia elétrica em suas residências; tempestade de segunda-feira (12) causou os problemas de fornecimento, segundo AES Eletropaulo

Agência Brasil

A AES Eletropaulo informou nesta sexta-feira (16) que ainda trabalha para reestabelecer o fornecimento para 100 mil clientes (residências e empresas) após as chuvas dos últimos dias, em São Paulo. Parte dos afetados está sem luz desde segunda-feira (12), quando uma tempestade interrompeu o fornecimento para 800 mil clientes da concessionária que atende a Grande São Paulo. A empresa disse, no entanto, que já solucionou 99% dos casos.

Leia:  Tempestade em São Paulo deixou 800 mil casas sem energia elétrica

Problemas de fornecimento foram causados pela tempestade de segunda-feira (12)
Paulo Pinto/ Fotos Públicas
Problemas de fornecimento foram causados pela tempestade de segunda-feira (12)

Na quinta-feira (15), moradores da Rua Daniela Crespi, na Vila Sônia, zona oeste paulistana, se revoltaram contra os mais de três dias que passaram sem luz. Para garantir a volta do fornecimento, eles impediram a saída de um carro da Eletropaulo que estava na rua, sem saída, fechando o acesso com outros veículos. “Depois de tentar falar com a Eletropaulo, com a Aneel [Agência Nacional de Energia Elétrica], milhões de protocolos. Até que a gente resolveu sequestrar uma perua [van] da Eletropaulo para ver se eles tomavam alguma providência. E deu certo”, conta a aposentada Madalena Ybañez, uma das participantes do protesto.

Apesar da revolta contra a concessionária, Madalena disse que os moradores pagaram almoço para os funcionários que estavam no carro preso. Em seguida, a empresa mandou outro veículo, melhor equipado, que resolveu o problema. A aposentada relata que a falta de energia aumentou o desconforto causado pelas altas temperaturas que têm sido registradas na capital paulista. “Além de ficar em um calor horroroso sem ventilador, sem nada, na geladeira foi tudo jogado fora”, reclamou.

Leia mais:  Conta de luz vai ficar mais cara em São Paulo

A administradora Thereza Reis, que mora há 35 anos no bairro, diz que nunca tinha ficado antes tanto tempo sem energia. “Minha mãe é uma acamada, teve AVC [acidente vascular cerebral]. Faz uso da insulina, tudo se perdeu”, contou. Thereza reclama ainda do atendimento da concessionária. “Já nem atendiam a gente no telefone. Simplesmente prometiam que vinham aqui e não apareciam”.

Leia também:  353 mil residências seguem sem luz após chuvas da última segunda-feira

O consumidor que tiver problemas de falta de energia pode fazer uma reclamação ao Procon. Dependendo do caso, o cliente poderá solicitar o abatimento na sua conta pelo tempo em que não teve o serviço prestado. Em casos de aparelhos e eletrodomésticos danificados, o consumidor pode fazer, no prazo de 90 dias da ocorrência, o pedido de ressarcimento à Eletropaulo. Após vistoria e comprovação do problema, a concessionária terá de restituir o valor do produto, substituí-lo ou repará-lo.

Veja imagens das chuvas que castigaram São Paulo nesse verão:


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.