Protesto contra aumento da tarifa termina com 51 detidos pela PM em SP

Por Agência Brasil | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Segundo a PM, 2 mil pessoas estiveram no ato; o Movimento Passe Livre (MPL), que organizou o evento, estima em 30 mil

Agência Brasil

A Polícia Militar (PM) atualizou para 51 o número de detidos na manifestação contra o aumento da tarifa dos transportes, feito nesta sexta (9) na região central de São Paulo. Segundo a Polícia Militar (PM), 2 mil pessoas participaram do ato. Já o Movimento Passe Livre (MPL), que organizou o evento, estima que 30 mil estavam presentes.

MPL: "Você chuta uma lata de lixo e vem uma chuva de bombas de gás"
Estratégia: MPL renova estratégia para tentar retomar relevância em 2015

O MPL divulgou nota afirmando que a PM reprimiu o ato de forma violenta e “que lançou bombas de gás, bombas de estilhaço mutilante e atirou com balas de borracha para impedir que a marcha chegasse à Avenida Paulista”.

Pichação feita por manifestantes do MPL no Monumento às Bandeiras, símbolo paulistano, nesta quinta-feira (29). Foto: Leonardo Benassatto/Futura PressAgredido por black blocs, fotógrafo Gustavo Gerchmann teve seu equipamento destruído no final do protesto do MPL de quinta-feira, 29 de janeiro. Foto: Leonardo Benassatto/Futura PressMonumento às Bandeiras com pichações feitas por militantes do MPL ao final do protesto desta quinta-feira (29) em SP. Foto: Twitter/ReproduçãoManifestantes se erguem sobre Monumento às Bandeiras, um dos símbolos paulistanos, nesta quinta. Foto: Leonardo Benassatto/Futura PressSexto ato de 2015 do MPL atraiu cerca de mil pessoas, nesta quinta-feira (29); muitos estavam mascarados. Foto: Rafael Neddermeyer/fotos públicasImagem da assembleia que decidiu o trajeto do ato, nesta quinta-feira (29), no vão livre do Masp. Foto: Facebook/ReproduçãoCatraca que manifestantes levaram à residência do prefeito Haddad, pela qual passaram em frente. Foto: Facebook/ReproduçãoMPL exige o passe livre nos transportes públicos paulistas. Foto: Facebook/ReproduçãoTroféu-catraca no início do ato de quinta-feira (29). Foto: Facebook/ReproduçãoPoliciais reforçam segurança na Avenida Paulista, na quinta-feira (29). Foto: Rafael Neddermeyer/fotos públicasManifestantes no ato que passou pela Paulista, 23 de Maio e terminou em frente à Assembleia Legislativa paulista. Foto: Rafael Neddermeyer/fotos públicasPoliciais fazem cordão de isolamento na Paulista, na quinta-feira (29). Foto: Rafael Neddermeyer/fotos públicasIdoso se junta a jovens no protesto de quinta-feira (29) pela tarifa zero. Foto: Rafael Neddermeyer/fotos públicasA PM afirma que cerca de 40 manifestantes eram black blocs, com escudos e paus como armas. Foto: Rafael Neddermeyer/fotos públicasManifestantes no início do ato de terça-feira (27), o quinto do MPL em São Paulo em 2015. Foto: Raul Duarte/iG São Pauloato do mpl - 27 de janeiro. Foto: Fernando Zamora/Futura PressPoliciais militares fazem cordão de isolamento no Largo da Batata, nesta terça-feira (27). Foto: Fernando Zamora/Futura PressMais uma vez, protesto do MPL acabou em confronto, nesta sexta-feira, em São Paulo; ao menos três ficaram feridos e quatro foram presos. Foto: Futura PressMais uma vez, protesto do MPL acabou em confronto, nesta sexta-feira, em São Paulo; ao menos três ficaram feridos e quatro foram presos. Foto: Futura PressMais uma vez, protesto do MPL acabou em confronto, nesta sexta-feira, em São Paulo; ao menos três ficaram feridos e quatro foram presos. Foto: Futura PressMais uma vez, protesto do MPL acabou em confronto, nesta sexta-feira, em São Paulo; ao menos três ficaram feridos e quatro foram presos. Foto: Futura PressMais uma vez, protesto do MPL acabou em confronto, nesta sexta-feira, em São Paulo; ao menos três ficaram feridos e quatro foram presos. Foto: Futura PressManifestantes ao início do protesto, quando tudo parecia encaminhar para um ato pacífico, nesta sexta-feira (23). Foto: Facebook/ReproduçãoJornalista Edgar Maciel, de "O Estado de S. Paulo", foi acertado por um tiro de borracha disparado por um PM dirante manifestação do MPL (23/01/2015). Foto: Reprodução/FacebookManifestantes queimam catraca em protesto do Movimento Passe Livre, em São Paulo (23/01/2014). Foto: Facebook/ReproduçãoPoliciais avançam sobre manifestantes no ato desta sexta-feira, que terminou em quebra-quebra e prisões. Foto: Leonardo Benassatto/Futura PressManifestantes são detidos em manifestação do MPL - 9-1-2014. Foto: Fernando Zamora/Futura Presshomem é preso pela polícia em protesto do mpl - 9-1-2014. Foto: Leonardo Benassatto/Futura PressMilitante adepto da tática black bloc no protesto desta sexta-feira. Foto: Fernando Zamora/Futura PressBarricada feita na Rua Peixoto Gomide em frente ao Hospital 9 de Julho. Foto: Luísa Pécora/iGAgência do Banco do Brasil depredada por manifestantes, nesta sexta-feira. Foto: Vitor Sorano/iGAvenida Angélica bloqueada pela polícia nas proximidades da Avenida Paulista. Foto: Vitor Sorano/iGManifestante é atingida na perna por bala de borracha. Foto: Barbara Liborio/iGLixo incendiado no cruzamento da avenida Angélica com a rua Goiás. Foto: Vitor Sorano/iG São PauloLixo incendiado na esquina da avenida Angélica com a rua Goiás. Foto: Vitor Solano/iG São PauloTropa de choque na esquina da rua Haddock Lobo com a Avenida Paulista. Foto: Alex GomesCom faixas e cartazes, manifestantes protestam contra reajuste das tarifas de transporte público (09/01/2015). Foto: iG/Bárbara LibórioEm São Paulo, manifestantes são acompanhados de perto pela polícia e pedem que transporte público seja gratuito (09/01/2014). Foto: iG São PauloProtesto ficou maior quando grupo contra reajuste das tarifas públicas chegou a Rua da Consolação, região central de São Paulo (09/01/2015). Foto: iG/Bárbara LibórioEm São Paulo, grupo de manifestantes definiu trajeto do protesto com a Polícia Militar (09/01/2014). Foto: iG/Bárbara LibórioProtesto de São Paulo contra o aumento do preço das passagens do transporte público começou sem incidentes (09/01/2015). Foto: iG/Bárbara LibórioPor conta da manifestação, trânsito da Avenida São João, no centro da cidade, fica parado. Foto: Barbara Liborio/iGSegundo o major Larry de Almeida Saraiva, do 11º  batalhão, a negociação sobre o trajeto da manifestação pelo fim da cobrança de tarifa no transporte público foi tranquil. Foto: iG/Bárbara LibórioPolícia Militar de SP acompanha os protestos com a cavalaria nesta sexta-feira (9). Foto: Vitor Sorano/iGCavalaria da Polícia Militar de São Paulo se prepara para acompanhar manifestantes em protesto contra tarifa de ônibus (09/01/2015). Foto: Vitor Sorano/iG


A passeata subiu a Rua da Consolação e, quando se aproximou da Avenida Paulista, por voltas das 19h30, houve confronto. As bombas de gás lacrimogêneo dispersaram os manifestantes. Alguns começaram a retornar pela mesma rua, em direção ao centro, outros correram pelas ruas transversais. Segundo o MPL, a PM perseguiu alguns manifestantes que seguiam agrupados, cercaram e fizeram prisões.

De direita: Com celular, médica faz cobertura "independente" de direita do protesto 

Em resposta, a Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo (SSP-SP) afirmou que “a PM atuou para garantir a segurança dos manifestantes e da população”. “[A PM] só agiu para conter aquelas pessoas que, lamentavelmente, agrediram policiais a pedradas, além de atacar estabelecimentos comerciais, bancos e veículos do transporte público”, completa a nota. Ainda segundo a SSP-SP, o uso de técnicas de dispersão foi necessário “para conter essas práticas criminosas”.

O aumento da tarifa nos transportes (metrô, trem e ônibus), de R$ 3 para R$ 3,50, entrou em vigor terça-feira (6). Em junho de 2013, diversas manifestações aconteceram na cidade por causa do anúncio de aumento das passagens de R$ 3 para R$ 3,20. A reação da população teve sucesso e o valor da passagem voltou a R$ 3.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas