Prefeito de São Paulo anunciou gratuidade nos ônibus de São Paulo no último dia 26; passagem vai ser reajustada no dia 6

Três dias após o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, anunciar que estudantes de baixa renda terão direito a gratuidade nos ônibus da capital, o governador Geraldo Alckmin anunciou nesta segunda-feira (29) que enviará projeto semelhante à Assembleia Legislativa. De acordo com a Secretaria dos Transportes Metropolitanos, a proposta prevê tarifa zero nos trens do Metrô e da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) e ônibus da EMTU para todos os estudantes de escolas públicas do Estado.

Leia também:  Haddad anuncia ônibus tarifa zero para estudantes de São Paulo em 2015

A medida inclui alunos das universidades públicas e das escolas técnicas (Etecs e Fatecs) e atingiria também estudantes de escolas e universidades privadas que comprovarem baixa renda (até R$ 1.550 per capita), de acordo com a pasta. 

Se aprovada, a concessão do benefício vai aproveitar cadastros já existentes de alunos para concessão de meia tarifa, entre eles o da EMTU e o da SPTrans, no município de São Paulo.

Também terão direito à tarifa zero alunos de baixa renda cadastrados em programas estaduais que dão bolsas a universitários, como o Escola da Família e o Ler e Escrever, e os federais Prouni e Fies.

A Secretaria dos Transportes Metropolitanos estima que cerca de 65% dos estudantes que usam CPTM e Metrô terão direito ao benefício.

Reajuste

A tarifa do Metrô e da CPTM passa de R$ 3 para R$ 3,50 a partir da próxima terça-feira, dia 6 de janeiro. A tarifa cheia terá reajuste de 16,67%, abaixo dos 17% de inflação acumulada desde o último reajuste, em fevereiro de 2012, segundo nota do Palácio dos Bandeirantes. Os ônibus da EMTU, que têm tarifas diferenciadas de acordo com as linhas e itirenário, a tarifa também terá reajuste de até 16,6%.

O prefeito de São Paulo também anunciou reajuste das tarifas dos ônibus da capital para R$ 3,50. Assim, a integração entre os coletivos e os trens do Metrô e da CPTM passa de R$ 4,65 para R$ 5,45.

Atualmente, pessoas com deficiencia e idosos têm direito à gratuidade nos transportes públicos do Estado e todos os estudantes podem pedir desconto de 50% nas tarifas.

A tarifa zero é uma das principais revindicações do Movimento Passe Livre (MPL), grupo que liderou as manifestações pela revogação do aumento da tarifa em junho do ano passado. 

Relembre os protestos do ano passado:



    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.