Anúncio vem no mesmo dia em que o aumento do transporte público municipal foi confirmado; MPL criticou medida: "tarifa zero e passe livre para estudantes são coisas muito diferentes"

Uma medida reivindicada há quase uma década por movimentos que tomaram conta das ruas de São Paulo em meados do ano passado será parcialmente atendida pela Prefeitura da cidade em 2015. A partir do dia 6 de janeiro, estudantes da rede pública ou de baixa renda passarão a ter o direito à tarifa zero em todos os ônibus da rede municipal, ou seja, passam a não pagar mais para usar esse tipo de transporte na capital paulista.

O prefeito paulista em julho de 2013: ele disse que não abaixaria a passagem, mas voltou atrás
Brasil Econômico
O prefeito paulista em julho de 2013: ele disse que não abaixaria a passagem, mas voltou atrás

A notícia vem no mesmo dia em que o prefeito Fernando Haddad anunciou, pela primeira vez desde junho de 2013, o aumento das passagens de ônibus na capital paulista, agora para R$ 3,50, também para (6) de janeiro.

No ano passado, o anúncio do aumento de R$ 3,00, o preço atual, para R$ 3,20 gerou revoltas nas ruas, capitaneadas pelo grupo Movimento Passe Livre (MPL), que acabaram se espalhando por todo o País, levando os governos municipal e estadual a voltarem atrás na decisão e manterem o valor. O preço dos ônibus não tem reajustes em São Paulo desde 2011.

Relembre:
Haddad e Alckmin anunciam redução no preço da passagem em São Paulo
MPL encerra protestos, reforça origem de esquerda e diz que não é antipartidário
Ato do MPL termina em quebra-quebra, foco de incêndio e depredação em SP
'Ainda tenho trauma de protestos', diz fotógrafo que perdeu olho um ano atrás

De acordo com a Prefeitura, a tarifa zero beneficiará 505 mil estudantes – 360 mil da rede pública e 145 mil da rede particular de ensino, contanto que comprovem ter baixa renda (as condições ainda não foram divulgadas). Universitários que comprovem baixa renda também serão beneficiadas pela medida.

Em nota, o governo municipal enalteceu a tarifa zero como o atendimento a uma "antiga reivindicação da comunidade e dos jovens". O MPL, no entanto, criticou a medida, afirmando que "tarifa zero [para todos os cidadãos de São Paulo] e passe livre para estudantes são coisas muito diferentes".

Relembre os protestos que obrigaram governos a voltar atrás em suas medidas:





Já aumento dos ônibus atingirá todos os cidadãos que não estejam na condição e estudantes, exceto das modalidades (R$ 140), semanal (R$ 38) e diária (R$ 10) do Bilhete Único, cujos preços seguem congelados. O valor do bilhete integrado com Metrô e CPTM sobe para R$ 5,45.

Leia também:
Zona leste: sem transporte público, vizinhos se unem e criam linha gratuita
Ônibus começam a circular em Maricá (RJ) sem cobrar passagem
Por tarifa zero, movimento incentiva passageiros a pular catraca em Brasília

Táxi mais caro
O aumento de R$ 0,50, de 7,92%, na passagem de ônibus vem acompanhado de outras medidas para 2015. A tarifa de táxi também cresce na capital paulista, 9,8%, chegando ao mínimo de R$ 4,50 (atualmente é R$ 4,10) pela bandeira 1 da categoria comum. As bandeiras-base das categorias luxo, especial e rádio passam a ser de R$ 6,75, R$ 5,65 e R$ 4,50, respectivamente.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.