Em Cajamar, no interior, moradores ficaram ilhados devido às enchentes; litoral segue em situação complicada e trecho da Rio-Santos em São Sebastião só deve ser liberado nesta sexta

Quem mora em São Paulo e saiu de casa para o tradicional almoço de Natal acabou enfrentando uma série de contratempos na tarde desta quinta-feira (25). Pouco antes das 16h, o céu começou a escurecer com a junção de nuvens repletas de água e um violento temporal se abateu sobre a capital paulista, levando toda a cidade a entrar em estado de alerta para enchentes. E elas vieram com força.

Veja o caos gerado pelas chuvas na capital e no litoral paulista:

De acordo com o Centro de Gerenciamento de Emergências da Prefeitura, entre 15h43 e 17h25, mais de 20 pontos de alagamento em vias importantes da cidade as deixaram completamente intransitáveis. Na região central, a Avenida Nove de Julho registrou problemas; na oeste, houve interdição na Praça Luiz Carlos Mesquita, Rua Turiassiu e Praça Pascoal Martins; na leste, na Avenida Alcântara Nachado; na sudeste, na Avenida Miguel Estefano. As águas deixaram carros ficaram completamente submersos, residências alagadas, placas de trânsito invisíveis.

Leia mais:
Rodovia que dá acesso ao litoral norte de SP tem trecho de 20 km interditado
Cidades da Baixada Santista entram em estado de alerta devido às chuvas 

Principal via de ligação da capital paulista ao Rio de Janeiro, Vale do Paraíba e Aeroporto de Guarulhos, a Marginal Tietê teve transbordamento e ficou completamente intransitável ao longo de mais de uma hora na pista local sentido-Ayrton Senna. A Avenida 23 de Maio, principal via para se cruzar as zonas sul à norte, ficou fechada nos dois sentidos por volta das 16h e, minutos depois, no sentido Aeroporto de Congonhas por quase uma hora e meia. A do Av. Estado também viu transbordar o córrego que delimita seus dois sentidos e teve seu tráfego quase inteiramente interrompido.

As chuvas também levaram à queda de fios de alta tensão e de árvores. Como já é comum na cidade em situações semelhantes, semáforos apagaram – cerca de 62, segundo a Companhia de Engenharia e Tráfego (CET) –, complicando o congestionamento em um feriado com uma capital pouco movimentada. Em poucas horas, ao menos 12 árvores caíram na cidade, que já recebeu 201 mm de acumulado de chuvas em dezembro, três vezes mais do que a média história. Na segunda-feira (22),  um passageiro de táxi morreu quando uma árvore caiu sobre o veículo  onde estava, em Higienópolis, na região central.

Moradores do bairro de Maresias, em São Sebastião, usam barco para resgatar vizinhos, na quarta
Andre Motta Waetge/Reprodução Facebook
Moradores do bairro de Maresias, em São Sebastião, usam barco para resgatar vizinhos, na quarta

Cidades do interior também registraram uma série de problemas. Em Cajamar, município localizado a 45 km de São Paulo, o Corpo de Bombeiros foi acionado para resgatar moradores ilhados devido ao grande volume de água nas ruas. Do Km 38 ao 36 da Rodovia Anhanguera no sentido-capital houve interdição de pistas devido às cheias por mais de duas horas. 

Leia também:
Veja imagens de São Sebastião após as fortes chuvas da véspera de Natal
Temporal isola bairros e deixa dezenas de desalojados no litoral norte de SP
Queda de árvore durante temporal deixa um morto em São Paulo

No litoral norte, a situação seguia complicada até o início da noite. A Rodovia Rio-Santos segue interditada por 20 km, no trecho entre os bairros de Maresias e Camburi, em São Sebastião, devido a rachaduras no asfalto das pistas e às quedas de barreiras e árvores. No final da tarde desta quinta-feira, a passagem para veículos de emergência – viaturas policiais, ambulâncias e afins – foi aberta parcialmente, com os motoristas revezando o uso das faixas ora para subidas ora para descidas. A previsão é que a via possa vir a ser usada pelos turistas a partir do final da tarde desta sexta-feira (26), mas isso ainda não é certo.

Apesar de não haver previsão de chuvas fortes para esta quinta no litoral, o estado de alerta por parte do CGE do Estado foi mantido, já que o solo continua encharcado devido aos últimos temporais na região. A Baixada tem como principal problema quando há chuvas a maré alta, pois a junção dos dois fenômenos acaba gerando grandes transtornos ainda maiores do que seriam habitualmente. O alerta de atenção também inclui áreas de morros, onde há risco de deslizamentos mesmo com a mais leve garoa devido ao encharcamento do solo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.