A poucos dias do Natal, principal centro de comércio da capital paulista decidiu abrir lojas neste domingo das 8h às 14h

Agência Brasil

Os lojistas da Rua 25 de Março apostam nos consumidores que deixam as compra para a última hora
MARCELO CAMARGO/AGÊNCIA BRASIL
Os lojistas da Rua 25 de Março apostam nos consumidores que deixam as compra para a última hora

A área de comércio popular da Rua 25 de Março, região Central da capital paulista, ficou lotada neste domingo (21), apesar do sol escaldante que cobriu o céu da cidade. A poucos dias do Natal, as lojas abriram das 8h às 14h, com expectativa de melhoria nas vendas e no faturamento. Segundo os lojistas, no fim de semana passado o movimento foi decepcionante. Por isso, a esperança dos comerciantes é que este tenha compensado os demais de fluxo fraco.

De acordo com o diretor comercial da Semaan Brinquedos, Marcelo Mouawad, o ano foi ruim para o comércio. “O ano foi horrível, mas os últimos três meses deram alguma esperança. Numa tentativa de compensar o ano, poderíamos ter bons resultados no último trimestre. Esperamos atingir um crescimento de 10%”, completou Marcelo. Em outra loja, a Armarinhos Fernando, a previsão também é de crescimento na faixa dos 10%.

A aposta dos lojistas são os consumidores que deixam as compras para a última hora. A assistente de produção Olga Alves da Silva, por exemplo, comprou presentes para a família que vive no Nordeste. “Vamos viajar. Por isso, viemos aqui. Compramos muita coisa, mas deixamos mesmo para a última hora, porque isso é mal de brasileiro. Acho que compensa vir comprar aqui, mesmo com muito movimento. Encontrei tudo que queria”, informou.

A telefonista Fulvia Low disse que foi à 25 de Março no último fim de semana antes do Natal, porque sempre falta alguma coisa para comprar. “Vim comprar algo para minha mãe, meu pai, minha filha e até para mim. Deixei para vir hoje, porque meu marido trabalha nos fins de semana e hoje está de folga. Pensei que teria mais movimento por ser domingo”.

Etelvina Simonique deixou o trabalho de costura para ir ao Brás. Desistiu no caminhoe resolveu ir à 25 de Março, porque o movimento está melhor. “O Brás estava muito cheio. Não se conseguia andar. Aqui está tranquilo. Hoje, foi o melhor dia para vir. Comprei presentes para minhas filhas", salientou”.

A camelô Renilda Santos Dias elogiou o movimento. Acrescentou que, normalmente, a movimentação de domingo é menor, mas, em função do fim do ano, há mais pessoas transitando pela rua. “As vendas estão devagar, mas está bom assim. No vou reclamar”, assinalou. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.