Barracos são demolidos após reintegração de posse em comunidade de São Paulo

Por Agência Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

Segundo a PM, aproximadamente 200 pessoas estavam no local no momento da chegada da polícia

Agência Brasil

A demolição dos barracos da comunidade Morro do Cipó, no Alto de Taipas, zona norte da capital paulista, está praticamente concluída, segundo a Polícia Militar (PM). O terreno onde ficava parte da comunidade foi reintegrado no início da manhã de hoje (16).

Segundo o major PM Laerte Araquém Fidélis Dias, aproximadamente 200 pessoas estavam no local no momento da chegada da polícia. “Num primeiro levantamento, achamos que teriam mil pessoas, mas não observamos esse número agora. O movimento está bem reduzido”, declarou. 

De acordo com o major, metade das casas estava vazias hoje pela manhã. Para a ação, que começou às 6h, a PM enviou 100 homens, além de um pelotão da Tropa de Choque e um da Cavalaria. Não houve confronto com os moradores. No início da tarde, retroescavadeiras removiam os entulhos. Segundo o major, a previsão é que a demolição termine às 15h.

A área, ocupada em agosto do ano passado, é propriedade da Elo Empreendimentos Construções. O terreno fica na Avenida Raimundo Pereira de Magalhães, região de difícil acesso, repleta de morros e vegetação nativa, próximo à construção do Rodoanel Norte.

Para a moradora Suzana Silva, 36 anos, a área ocupada é extensa, chegando a 400 mil metros quadrados. Porém, apenas uma parte foi reintegrada hoje. Segundo ela, 100 famílias da comunidade perderam suas casas e mais 900 famílias que permanecem no espaço, na parte baixa do morro, podem ser removidas no futuro. “Dia 5 de janeiro, tirarão a parte de baixo”, comentou.

Suzana mudou-se para o Morro do Cipó há 2 anos. Ela explica que não existe um movimento social liderando a ocupação. “Como as invasões são antigas na parte de baixo e havia uma área vazia em volta, cada um que chagava fazia um barraco.”

A ordem judicial de reintegração foi expedida pela juíza Teresa Cristina Castrucci Tambasco Antunes, da 3ª Vara Cível.

Leia tudo sobre: brasiligspreintegração de possealto de taipas

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas